Festa clandestina em Cambará termina com feridos e confusão

Da Redação com Claubinho Souza – Banda B

Uma equipe de Policiais Militares da RPA de Cambará foi acionada na madrugada deste sábado (20) para atender uma ocorrência no Pronto Socorro, onde um homem estaria causando transtornos à equipe de atendimento médico.

O rapaz alvo da denúncia, Carlos Roberto Cunha, ou Carlos Americano, como é mais conhecido, havia chegado com ferimentos na cabeça, e seria o provável condutor de uma caminhonete que teria atropelado algumas pessoas que participavam de uma festa clandestina realizada em uma rua próximo ao cemitério de Cambará.

Informantes relataram que o condutor da picape participava de uma festa em local aberto, onde havia uma grande aglomeração de pessoas bebendo e dançando. Segundo alguns relatos postados nas redes sociais, ele teria saído da festa, mas voltou momentos depois. Jogando a picape que dirigia contra um grupo de pessoas, atropelando, pelo menos, cinco pessoas, entra as quais uma moça que teria sofrido fraturas numa das pernas

Em um áudio postado nas redes sociais, um dos participantes da festa fez um relato do episódio, assinalando que “o rolê rolava suave, só tinha bebidas, som e dança”. A voz afirma ainda que tinha muita gente e seria o maior rolê do ano.

O condutor da caminhonete teria realizado uma manobra de risco, perdendo o controle do veículo e atropelando e ferindo pelo menos cinco participantes. Ele, ao perceber que seria agredido pelos participantes da festa, teria saído do local em alta velocidade, mas acabou perdendo o controle do veículo, invadindo um canavial e, na sequência, empreendido fuga a pé.
Em outra postagem um rapaz participante da festa admite ter perseguido o atropelador, junto com outro jovem e que teriam alcançado o atropelador, aplicando-lhe uma surra, razão dos ferimentos que o levaram ao Pronto Socorro.

Os PMS foram até o local e encontraram a caminhonete Toyota Hilux, avariada e com marcas de sangue por dentro e por fora. Foi formalizado um Boletim de Ocorrência e encaminhado à Polícia Civil.

Empresário e locutor de rodeios
Carlos Roberto Cunha, acusado de pivô da confusão na festa clandestina que quase terminou em tragédia na madrugada de sábado (20) é mais conhecido por Carlos Americano, desde que enveredou no mundo dos rodeios, como locutor de sucesso.
Foi o sucesso como locutor que fez dele um empresário bem sucedido na área de produtos para o mundo country, uma das indústrias que mais cresce no mundo nas últimas décadas.