Vereador Flavinho lamenta mortes por Covid-19 e pede Hospital de Campanha

Município acumula 43 óbitos por complicações da doença e não há leitos de UTI disponíveis na região

Assessoria de Comunicação


O vereador Flavinho Maiorky (Democratas) lamentou nesta quinta-feira (18) as 43 vidas perdidas para a Covid-19, em Santo Antônio da Platina. Com o sistema de saúde em colapso, ele defende uma grande mobilização pela instalação emergencial de um Hospital de Campanha para tratamento exclusivo a vítimas da doença no município e de cidades vizinhas.

“O problema é muito sério e se agrava a cada dia. Na semana passada o Hospital Regional [do Norte Pioneiro] recebeu mais cinco leitos de UTI para pacientes com covid, mas em menos de 24 horas eles foram todos ocupados. Temos pessoas em enfermarias em estado gravíssimo à espera de um leito de UTI, mas faltam vagas até mesmo em hospitais particulares para atender a alta demanda de pacientes infectados por esse vírus terrível. A necessidade de um Hospital de Campanha para atender Santo Antônio da Platina e região já vem sendo debatida pela classe médica, e agora, mais do que nunca, precisa ser aprofundada com a máxima urgência”, avalia Flavinho.

Os 14 leitos de UTI disponibilizados para tratamento da Covid-19 no Hospital Regional do Norte Pioneiro, e único na Santa Casa de Jacarezinho, estão ocupados. Entre os 20 leitos de enfermarias nos dois hospitais destinados a pacientes infectados pelos vírus, apenas um encontra-se disponível, em Jacarezinho.

ConscientizaçãoO vereador Flavinho Maiorky adverte que de nada adianta mais leitos de UTI e a instalação de um Hospital de Campanha na cidade se não houver cooperação e conscientização por parte das pessoas no enfrentamento à pandemia. “Temos que respeitar as medidas sanitárias e de isolamento social para vencermos o vírus. Saiam de casa somente para trabalhar e realizar tarefas essenciais. Evitem locais com aglomeração de pessoas, reuniões desnecessárias e festas particulares que podem custar mais vidas. É preciso bom senso e conscientização!”, pondera.