Vermelho defende retomada das atividades comerciais em Santo Antônio da Platina

Vereador diz que é preciso cuidar da saúde da população e das empresas para evitar duas pandemias na cidade

Assessoria de Comunicação

“Temos que cuidar da saúde da população e das empresas para evitarmos duas pandemias na cidade”
CRÉDITO: Divulgação

Na segunda-feira (15), o vereador Luciano de Almeida Moraes (PTB), o ‘Vermelho’, defendeu na Câmara Municipal a retomada das atividades comerciais em Santo Antônio da Platina para evitar consequências ainda mais drásticas em consequência da pandemia de Covid-19.

“Temos que cuidar da saúde da população e das empresas para evitarmos duas pandemias na cidade. Sabemos que é uma situação muito difícil, pois o coronavírus circula em todo lugar. Mas será que não houve falha da fiscalização nas festas que ocorreram no município nos últimos meses, em reuniões que continuam acontecendo sem critérios, na avenida lotada?”, questiona Vermelho.  

Para o vereador as autoridades e a população não podem ficar com braços cruzados assistindo a doença disseminar na cidade. Ele avalia que é preciso agir de forma mais incisiva contra a causa do problema. “Nos meses de janeiro e fevereiro houve um relaxamento por parte da fiscalização para evitar aglomerações de pessoas em eventos particulares, enquanto comerciantes e clientes faziam a sua parte cumprindo rigorosamente os protocolos de segurança e medidas sanitárias para evitar a propagação do vírus”, adverte.

O vereador conclui alertando sobre a falta de conscientização das pessoas, e o fechamento de empresas resultando no aumento do desemprego no município. “Sabemos que é difícil cuidar de marmanjo, pois as aglomerações ocorrem entre pessoas maiores de idade que se reúnem para churrascos nos finais de semana. Enquanto isso, os micro e pequenos empresários, donos de lanchonetes e restaurantes, por exemplo, são penalizados em razão do decreto estadual seguido à risca pela maioria dos prefeitos. Muitos desses empresários já quebraram por conta das medidas radicais, enquanto quem realmente deveria ser punido de fato continua desafiando o vírus e as autoridades”.