Aumento da margem consignável ajuda beneficiários do INSS e servidores públicos a organizar finanças

Margem foi ampliada de 30% para 35%, além dos 5% para despesas com o cartão de crédito, contemplando aposentados e pensionistas do INSS, servidores federais e militares.

Capitalist


Na última semana, o Senado aprovou a proposta que prevê o aumento da margem do empréstimo consignado de 30% para 35%, além dos 5% para despesas com o cartão de crédito. A medida, que deve ser sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro nos próximos dias, é válida para aposentados e pensionistas do INSS, servidores federais e militares.

A ampliação do limite ficará válida até 31 de dezembro de 2021. Assim, quem precisar de crédito poderá ter acesso a um maior valor para reorganizar suas finanças, ou mesmo realizar um sonho e tirar um projeto antigo do papel.

“Até então, a margem para empréstimo consignado era 30%, aumentou para 35% do salário bruto, vamos pegar um salário mínimo que está em R$ 1.100,00. Com a margem de 30% o limite de parcela era de até R$ 330,00. Agora, com o limite em 35%, a pessoa que ganha um salário mínimo poderia pagar uma parcela de até R$ 385,00”, explica o diretor administrativo da HE Promotora, Hipólito Reis dos Santos.

Assim, os beneficiários do INSS, servidores públicos federais e militares podem solicitar um novo empréstimo consignado ou fazer a portabilidade de um já existente para pagar menos juros.

“Dois anos atrás o INSS estabelecia 2,14%, hoje esse percentual caiu para 1,8% e pela concorrência dos bancos, a gente consegue taxa de até 1,2%. Então, se a pessoa estava pagando uma parcela de R$ 330,00, pode fazer a portabilidade que é jogar do banco X para o banco Y e pagar o restante das parcelas com valor de R$ 210 ou R$ 215,00. Ele vai ter reduzida a taxa de juros”, destaca Santos.

O crédito consignado é uma das melhores opções de empréstimo disponíveis atualmente no mercado, uma vez que a taxa de juros é mais acessível que em outras modalidades, como o crédito pessoal ou empréstimos com garantia, por exemplo. Além disso, esse tipo de empréstimo não tem consulta ao SPC e Serasa, sendo portanto de fácil aprovação.