“Transporte público de Ourinhos pode parar a qualquer momento”, afirma CCO

Crédito – G1-Globo

Da Assessoria


Os sucessivos regimes de quarentena impostos pelas autoridades governamentais por conta da pandemia do novo coronavírus têm afetado a economia de maneira geral, e, particularmente, o sistema de transporte público, setor que sofre com a vertiginosa retração de receita e que na cidade de Ourinhos, até o momento, segundo a permissionária do serviço, não recebeu nenhum tipo de subsídio, incentivo fiscal ou apoio público para a manutenção desse direito constitucional e essencial à população.

De acordo com a Empresa Circular Cidade de Ourinhos (CCO), do Grupo AVOA, a crise no transporte público de Ourinhos começou bem antes da pandemia, que apenas agravou a situação. Ao longo dos anos estão sendo acumulados sucessivos prejuízos que, agora, diante do agravamento advindo da crise sanitária, o sistema de transporte coletivo poderá deixar de existir.

A título de exemplo, explica a empresa, há muito tempo a empresa vem amargando um prejuízo financeiro milionário decorrente das “gratuidades” concedidas no transporte coletivo (isenção da tarifa aos idosos, às pessoas com deficiência, desconto de 50% da tarifa aos estudantes, etc.), sem qualquer contrapartida do poder público, mesmo tendo a legislação definido que a fonte de custeio dessas despesas deveria ser o dinheiro público.

Em nota, que está sendo veiculada através dos seus canais de comunicação, a Circular afirma: “Sem qualquer tipo de auxílio financeiro por parte do Poder Público para manter o sistema de transporte público da cidade em funcionamento, setor este que foi um dos mais impactados pela pandemia do Covid-19 (com despesa demasiadamente SUPERIOR a receita), informamos que a empresa, sozinha, tem adotado todas as medidas possíveis para a manutenção desse serviço essencial à população e do emprego dos seus colaboradores”.

Ainda sem uma solução à vista, a empresa teme um colapso no sistema de transporte público de Ourinhos, que afetará toda a população, pois, segundo ela, a inércia do município pode levar à inviabilidade do sistema público de transporte em Ourinhos, por absoluta falta de receita para o custeio das despesas básicas de operação.

A empresa afirmou ainda que toda a situação já foi oficiada ao Ministério Público, que está ciente sobre o risco iminente de paralisação do serviço por falta de recurso financeiro para a manutenção da operação do transporte público da cidade, que afetará toda a população. Por fim, afirma que continuará insistindo junto ao governo municipal na tentativa de conseguir apoio ao transporte público.