Municípios da região aderem a consórcio para comprar vacinas

São sete municípios da Amunorpi que fazem parte de consórcio nacional que visa negociar doses do imunizante junto a laboratórios

Da Redação


 Sete municípios da região da Amunorpi (Associação dos Municípios do Norte Pioneiro) já aderiram ao consórcio idealizado pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP) que visa negociar a aquisição de doses da vacina contra a Covid-19 diretamente de laboratórios e, consequentemente, acelerar o processo de imunização dos cidadãos.

Andirá, Barra do Jacaré, Cambará, Carlópolis, Figueira, Guapirama e Jacarezinho estão na última atualização da lista de municípios que integram o consórcio da FNP, divulgada nesta quinta-feira (4).A tendência, porém, é que este número ainda cresça no decorrer da semana pela necessidade de vacinação – e agora também pela pressão popular sobre os gestores na “corrida” pelo imunizante.

De acordo com o prefeito de Jacarezinho, Marcelo Palhares (PSD), um dos primeiros a anunciar a adesão ao consórcio na região, a ideia é ter um plano B ao Plano Nacional de Imunização. “A gente sabe que os governos têm feito esforços, mas também precisamos ter um plano próprio. Se houver algum entrave no repasse das vacinas, teremos a possibilidade de adquirir as doses pelo consórcio e garantir a vacinação aos nossos cidadãos o mais rápido possível”, pontua.

“Vemos no consórcio uma possibilidade muito boa. Em 4 de janeiro a prefeitura de Jacarezinho já havia feito um protocolo de intenção de compra de doses junto ao Instituto Butantan mas não tivemos resposta. Agora vamos pelo caminho do consórcio, que parece ser muito promissor. Buscaremos todas as alternativas dentro das nossas possibilidades para que o município volte à normalidade o quanto antes”, completa o prefeito de Jacarezinho.

Em todo o Paraná foram 148 municípios que aderiram ao consórcio até o momento. No total, 1.031 prefeituras brasileiras fazem parte da iniciativa, que prevê dar segurança jurídica aos participantes no caso das aquisições de doses da vacina.

O consórcio deve ter a formalização concluída em março e buscará parcerias para a compra das vacinas. A iniciativa tem apoio do Ministério da Saúde.