Vacinas não repassadas pelo Ministério permitiriam vacinar 122 mil paranaenses

Da Assessoria


O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) afirmou nesta quarta-feira (3) que a diferença entre as quantidades de vacinas entregues ao Paraná e ao Rio Grande do Sul permitiria imunizar todos os moradores de uma cidade como Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba, que tem uma população de 120 mil habitantes.

Romanelli voltou a denunciar que o Paraná vem recebendo sistematicamente menos doses de vacinas do que o Rio Grande do Sul, apesar de ter uma população maior. Com o novo lote de Coronavac entregue nesta quarta-feira pelo Ministério da Saúde, a diferença subiu para 245.400 doses. Foram 146,8 mil vacinas encaminhadas ao Paraná e 174,8 mil ao Rio Grande do Sul.

“É uma discriminação. Desde o início da vacinação, o Paraná recebeu 853 mil doses e o Rio Grande do Sul 1.098.400. Essa diferença de 245.400 vacinas permitiria ao Governo do Estado imunizar, com duas doses, a população inteira de uma cidade do tamanho de Almirante Tamandaré”, afirmou Romanelli.

As 245.400 doses de diferença permitiram vacinar 122.700 paranaenses com duas doses, o que equivale, por exemplo, a população completa de Almirante Tamandaré (120.041), Piraquara (114.970), Umuarama (112.500), Cambé (107.341) e Fazenda Rio Grande (102.004).

COBRANÇA – O deputado disse que não há explicação para a diferença e que continuará a exigir tratamento igualitário por parte do governo federal. Romanelli cobrou um posicionamento do Ministério na tribuna da Assembleia e encaminhou questionamento cobrando a diferença.

“Além de explicações, queremos que a União entregue ao Paraná as doses que deixaram de ser repassadas. Já são mais de 245 mil doses. Milhares de paranaenses deixaram de ser vacinados porque o Ministério não entregou proporcionalmente a nossa população”, salientou.

De acordo com dados do IBGE, o Paraná possui 11.516.840 habitantes e o Rio Grande do Sul tem 11.422.973.