Março Azul quer prevenir o câncer colorretal

O oncologista Ramon Andrade de Mello ressalta a importância de uma alimentação saudável e práticas regulares de exercícios físicos

Da Assessoria


Uma alimentação saudável e a prática regular de exercícios físicos são dois fatores fundamentais para a prevenção do câncer colorretal, tema da campanha do Março Azul. O tumor é o terceiro mais frequente em homens e o segundo entre as mulheres no Brasil, desconsiderando o câncer de pele não-melanoma.

O oncologista Ramon Andrade de Mello, professor da disciplina de oncologia clínica da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), da Uninove e da Faculdade de Medicina da Universidade do Algarve (Portugal), explica que essa doença também pode ser denominada como câncer de cólon e reto ou câncer do intestino grosso.

“O câncer colorretal tem desenvolvimento a partir de pólipos, que inicialmente são lesões benignas que crescem na parede do cólon”, explica o oncologista. Segundo ele, pacientes com predisposição genética podem ser diagnosticados com o tumor: “Principalmente aqueles que mantém hábitos não saudáveis”.

O pesquisador da Unifesp recomenda o consumo diário de frutas e legumes regularmente como forma de prevenção. “A prática de exercícios físicos regulares e a ingestão de dois litros de água por dia são outras duas dicas importantes para manter a saúde em dia”.

Os pacientes com câncer colorretal podem apresentar sintomas como perda de peso rápida e não intencional, ou seja, que não está diretamente relacionada à uma nova dieta, por exemplo. Anemia, cansaço e fraqueza também podem indicar a existência do tumor. “A presença de sangue nas fezes e alterações no ritmo intestinal merecem atenção e devem ser motivo de uma visita ao médico. Vale lembrar ainda que dor e cólica com mais de 30 dias de duração também requer uma visita ao especialista”, orienta o médico.

Sobre Ramon Andrade de Mello

Oncologista clínico e professor adjunto de Cancerologia Clínica da Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Ramon Andrade de Mello tem pós-doutorado em Pesquisa Clínica no Câncer de Pulmão no Royal Marsden NHS Foundation Trust (Inglaterra) e doutorado (PhD) em Oncologia Molecular pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (Portugal).

O médico tem título de especialista em Oncologia Clínica, Ministério da Saúde de Portugal e Sociedade Europeia de Oncologia Médica (ESMO). Além disso, Ramon tem título de Fellow of the American College of Physician (EUA) e é membro do Comitê Educacional de Tumores Gastrointestinal (ESMO GI Faculty) da Sociedade Europeia de Oncologia Médica (European Society for Medical Oncology – ESMO), Membro do Conselho Consultivo (Advisory Board Member) da Escola Europeia de Oncologia (European School of Oncology – ESO) e ex-membro do Comitê Educacional de Tumores do Gastrointestinal Alto (mandato 2016-2019) da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (American Society of Clinical Oncology – ASCO). 

O oncologista é do corpo clínico do Hospital Israelita Albert Einstein e Hospital 9 de Julho, em São Paulo, SP, e do Centro de Diagnóstico da Unimed (CDU), em Bauru (SP).