Cidade Invisível é a série brasileira mais assistida

A série nacional que conquistou o coração dos telespectadores atrai, cada vez mais, admiradores

Dânilla Araújo

Você, muito provavelmente, já deve ter visto, ouvido ou recebido sugestão para assistir Cidade Invisível. Se ainda não assistiu porque não quis dar uma chance para a cinematografia brasileira, então este é o momento.

A série que estreou na Netflix, dia 05 de fevereiro, vem sendo a queridinha pela maioria dos brasileiros, e não para de conquistar o coração dos telespectadores, ficando em 1º lugar entre os filmes mais bem assistidos.

O enredo apresenta a passagem de personagens folclóricos – assim como Saci Pererê, Cuca, Boto cor-de-rosa, Iara, curupira e o corpo seco, os quais assumem suas formas humanas – sob uma visão adulta- misturando a realidade com a ficção, que se passa durante uma investigação policial, a qual busca as razões do aparecimento de um boto cor-de-rosa na praia do Rio de Janeiro.

E se você acha que a série pode ser muito fantasiosa e infantil, achando que vai encontrar um jacaré loiro dizendo ser a Cuca, é aí que você se engana. A série escrita pelo casal brasileiro Raphael Draccon e Carolina Munhoz, e dirigida por Carlos Saldanha, possui uma história bem amarrada e prende o telespectador do início ao fim.

Confira o Trailer e entre no clima:

Cidade Invisível não é a primeira série a ter repercussão internacional, mas é a pioneira em tratar de um tema original do Brasil, proporcionando aos telespectadores uma nova versão das lendas.

O enredo despertou admiradores ao folclore brasileiro no momento mais oportuno, uma vez que as histórias nascidas aqui, em terras nacionais, vem sendo cada vez menos presentes nas novas gerações.

A cinematografia brasileira vem sendo aceita gradativamente pelo público internacional e até mesmo nacional. “ Bom dia Verônica, “ O Mecanismo”, “ 3 % “, e não para por aqui, foram séries que fizeram a Netflix investir cada vez mais em conteúdos brasileiros, graças a repercussão que essas vem tendo.

A série de repercussão internacional reviveu a história de seres que só foram reproduzidos sob a visão de Monteiro Lobato, em Sítio do Picapau Amarelo. O enredo, que agora é apresentado sob uma visão adulta, e que conquistou americanos e europeus está em 10º lugar entre os filmes e séries mais procurados nos Estados Unidos e no ranking de 48 países , incluindo Itália, México, França, dentre outros.

Isso mostra o potencial que a cultura nacional tem. O que prova que não é preciso emprestar o halloween dos Estados Unidos – o qual dá vida apenas a bruxas, vampiros e fantasmas – enquanto existem em terras brasileiras Saci Pererê, Curupira, Iara, Cuca e inúmeros seres que os índios fizeram presentes ao longo dos contos e narrativas.

Sobre a Série

A narrativa se passa com o protagonista Érick, um investigador ambiental da Polícia Civil, enquanto busca a causa da morte de sua esposa durante um incêndio na Vila Toré, um lugar onde as pessoas vivem da pesca e tem suas terras cobiçadas por uma construtora.

Durante a trama e investigações, Érick se mostra completamente descrente de qualquer anomalia que envolva seres míticos que, até o momento, não passava de lendas. Até encontrar na praia um boto cor-de-rosa morto.

A trama começa se desenvolver e prender o telespectador quando o boto vira um homem e Érick se vê sozinho com um corpo e precisa se livrar. E agora, será que o investigador vai ser acusado de homicídio?

Enquanto a polícia investiga as causas estranhas que vem acontecendo: a morte da esposa do Érick, incêndio na mata, o desaparecimento de um Boto cor-de-rosa e um corpo abandonado na mesma mata que ocorreu o incêndio, os personagens folclóricos, Cuca, Saci Pererê, Iara e outros seres míticos dos contos brasileiros – lutam para descobrir o que está causando a morte e destruição dos animais e de seus parceiros.