Governo ativa mais 148 leitos Covid e estuda ampliar outros 97

Curitiba – Agência Estadual

Essas ativações fazem parte da ampliação emergencial de leitos em todo o Paraná devido ao aumento da demanda por atendimento de casos confirmados e/ou suspeitos do vírus
Crédito: Antônio de Picolli

O Governo do Estado ativou mais 55 leitos de UTI e 93 de enfermaria. Destes, 31 UTIs e 36 enfermarias foram disponibilizadas no Hospital Angelina Caron, em Campina Grande do Sul, que entraram em operação nesta segunda-feira (1). O Paraná prevê ainda a ampliação de mais 54 UTIs e 43 enfermarias nos próximos dias, somando 97 novas estruturas.

Na última semana, o Estado ativou 336 leitos, sendo 134 UTIs e 202 enfermarias para atendimento à Covid-19 – os 258 anunciados na sexta-feira estão nesse cálculo. Essas ativações fazem parte da ampliação emergencial de leitos em todo o Paraná devido ao aumento da demanda por atendimento hospitalar de casos confirmados e/ou suspeitos do vírus SARS-CoV-2.

“O Paraná não tem medido esforços para ampliar o atendimento e regionalizar a saúde trazendo o serviço médico para mais próximo das pessoas. Neste momento estamos utilizando toda a capacidade hospitalar do Estado para evitar filas e risco à vida de pacientes”, disse o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

Segundo o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, estas ampliações não podem ser usadas como desculpa para relaxamento de medidas de prevenção. “Ressaltamos que as ampliações de atendimento são finitas e não devem, de forma alguma, servir como argumento para deixar de se cuidar. As medidas de prevenção devem continuar sendo seguidas, Estamos chegando cada vez mais no limite”, afirmou.

DADOS 

 Dados da Regulação de Leitos Estadual mostram que na manhã desta segunda-feira (1º) o Paraná somou 3.650 pessoas internadas em leitos Covid e 616 aguardando transferência, sendo 387 pela Regulação do Estado e 229 pela Central Metropolitana de Leitos de Curitiba. Os números são os maiores desde o início da pandemia.

A taxa de ocupação de leitos no Paraná é de 92% das UTIs e 72% de enfermarias. A situação mais crítica é na macrorregião Oeste, com 97% de ocupação de leitos de UTI, seguida pela macro Norte, com 94%, Leste, com 92%, e Noroeste com 82%.

“Dia após dia temos registrado números cada vez maiores tanto de internamentos quanto de pessoas em fila de espera por leitos. Infelizmente sabemos que 25% destas pessoas, mesmo com atendimento hospitalar, não irão resistir às complicações causadas pela doença. Por isso reforçamos que é a melhor escolha é se prevenir. Quem puder, que fique em casa”, acrescentou Beto Preto.