Crea-PR tem representação em conselhos municipais do Norte Pioneiro

Objetivo é propor ações de planejamento e execução de políticas públicas e valorizar as profissões das áreas atendidas pelo sistema Confea/Crea

Da Assessoria


O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR) tem representação ativa nos conselhos municipais do Norte Pioneiro. O objetivo da presença do Conselho nessas esferas é propor ações de planejamento e execução de políticas públicas e de novas soluções que pertençam ao sistema profissional. Além disso, os representantes buscam combater o exercício leigo das profissões, evitando tomadas de decisões que comprometam a eficiência e eficácia das atividades atendidas pelo sistema Confea/Crea, podendo colocar a sociedade em risco.

Santo Antônio da Platina também conta com representante do Crea-PR no Conselho Municipal de Habitação e Interesse Social. Nas reuniões, os membros discutem demandas de moradia para pessoas em estado de vulnerabilidade social e buscam encontrar soluções para auxiliar os moradores do município que sofrem com a falta da casa própria. “Tratamos questões como aluguel social e fornecimento de energia elétrica e de água e esgoto, por exemplo, em ocupações, que são locais que carecem desses serviços”, explica o Engenheiro Civil Giovanne dos Santos Leite, representante do Crea-PR.

Para ele, a presença de um profissional de Engenharia Civil assegura que os processos seguirão critérios técnicos exigidos para o desenvolvimento de projetos. “Na última reunião, discutimos sobre a viabilização de moradias junto ao Governo Federal. Citei, inclusive, o programa Casa Fácil, criado pelo Crea-PR em 1989, que estabelece uma parceria com entidades de classe e prefeituras para a construção de moradias populares com até 70 metros quadrados”, explica Leite. Neste programa, são beneficiadas famílias com renda de até três salários mínimos. O Crea-PR oferece acompanhamento técnico para acesso à moradia digna, segura e econômica com toda a documentação legal, como alvará, projetos e outros documentos. Em mais de 30 anos, o Prog rama Casa Fácil já atendeu mais de 180 mil famílias com a construção de mais de 10 milhões de metros quadrados.

Em Cornélio Procópio, o Crea-PR tem representante no Conselho de Sanidade Agropecuária. O Engenheiro Agrônomo João Ataliba de Resende Neto explica as discussões que são apresentadas nas reuniões. “Nós discutimos a implementação e manutenção de estradas rurais, fomentos no setor de bovinocultura de leite, sanidade animal e qualidade e sanidade de produtos básicos voltados à população local. Outros temas contemplados nos encontros são as doenças que atingem as lavouras do município e a produtividade.” Membro do Conselho de Sanidade Agropecuária há mais de seis anos, Resende Neto ressalta a importância da presença de perfis técnicos nessas esferas. “Os profissionais têm conhecimento e capacitação para tomar decisões de cunho técnico, que estão dentro das normas e leis regentes no município e no país”, acrescenta.

Em Bandeirantes, a representação é de responsabilidade do Engenheiro Mecânico Harlon Luna Ferreira, no Conselho Municipal de Planejamento e Gestão Territorial de Bandeirantes. “Nas reuniões, discutimos a aprovação de licenças de empresas que querem se instalar no município, bem como de construções inadequadas ao Plano Diretor”. A convocação dos encontros é feita sempre que necessário. “Acredito que é muito importante a representatividade de órgãos relevantes da sociedade, assim como temos membros da OAB, do Ministério Público e assim por diante”, cita Ferreira.

Para o assessor de Gestão de Políticas Públicas do Crea-PR, Samir Jorge, as representações são fruto de um processo cada vez maior da presença do Crea-PR na discussão de temas relevantes para a sociedade. “Esta é uma iniciativa contínua em busca de participar o máximo possível em todas as representações, cuja atividade ou atuação tenha vínculo com as nossas profissões”, comenta.

Ao longo do tempo, as ações promovidas pelo Crea-PR geraram avanços para a percepção da importância do sistema profissional para a sociedade, gerando, assim, oportunidades de inserção profissional. “Sempre que indicarmos a necessidade da elaboração de estudos básicos para uma determinada área do nosso sistema profissional, naturalmente ocorrerá a janela de oportunidade para inserção profissional, como por exemplo, a obrigatoriedade da elaboração de Estudos de Impactos de Vizinhança para permitir a instalação de determinada empresa, fato este que passa por discussão em Conselhos de Meio Ambiente de vários Municípios. Esta ação pode parecer simples, mas na prática protege o cidadão na convivência com atividades que poderiam causar danos, sejam sonoros, de poluição ou mesmo de intensa movimentação e que causariam incômodo na rotina diária destas pessoas que residem no entorno desta atividade comercial ou mesmo industrial”, afirma.

Para este ano, o Crea-PR pretende intensificar a interação com os representantes dos conselhos municipais. “Queremos colaborar com a melhoria da representação, fornecendo mais informações e apoio para que nossa representação cresça sempre, buscando a valorização das nossas profissões junto à sociedade e colaborando para a melhoria de vida das pessoas em todas as regiões do nosso Paraná”, finaliza Jorge.