Cornélio Procópio e região recebem a Frente do Pedágio nesta sexta-feira

Evento acontece no Centro Cultural a partir das 9 horas e também poderá ser acompanhado pelas redes sociais

Da Assessoria

Deputado Arilson Chiorato, coordenador da Frente do Pedágio

Cornélio Procópio é a quarta cidade a debater junto com os municípios do Norte Pioneiro o novo modelo de pedágio proposto pelo Governo Federal, com o aval do Governo do Paraná. A audiência pública acontece nesta sexta-feira, a partir das 9 horas, no Centro Cultural. Assim como nas audiências públicas anteriores, a participação será tanto presencial quanto virtual.

A população poderá acompanhar e interagir através das redes sociais da Assembleia Legislativa do Paraná e também do deputado Arilson Chiorato (PT), coordenador da Frente do Pedágio.

“A participação de toda a sociedade é importantíssima. Não podemos aceitar o modelo apresentado, que prevê 15 novas praças, somando 42 no total, maior extensão de rodovias pedagiadas, saltando de 2.505 para 3.327 km e maior tempo de contrato, o que vai impactar todos os setores. O transporte vai ficar mais caro influenciando a alta dos preços, que vai chegar ao supermercado, comprometer o orçamento de quem trabalha, estuda ou até faz tratamento médico em outras cidades”, alerta.

Na região do Norte Pioneiro, o coordenador da Frente cita três novas praças que estão previstas no modelo idealizado pelo Governo Federal, sendo uma delas em Sengés, uma em Siqueira Campos e outra entre Jacarezinho e Ourinhos. “O Norte Pioneiro tem uma trajetória dolorosa quando o assunto é pedágio, com tarifas altíssimas, acima dos R$20, como a de Sertaneja, Jacarezinho e também de Jataizinho”, pontua.

Arilson observa que este novo modelo de pedágio prevê descontos na casa de 25%, depois da conclusão das obras, o degrau tarifário permite um aumento de 40%, ou seja, vai haver uma alta de 15% em comparação ao que é hoje. “Ninguém aguenta mais pagar pedágio caro. A população está mobilizada e vários municípios estão pedindo para que a audiência pública seja realizada em suas regiões, o que fez abrir a possibilidade de fazer uma nova agenda, ampliando o período de debate”, diz.

Isenções – O coordenador da Frente do Pedágio comenta ainda sobre a praça de pedágio desativada em Andirá. “Essa praça não é objeto de validação neste momento, mas há uma discussão para que municípios que tenham praça de pedágio tenham isenção ou, no mínimo, desconto significativo aos moradores”, salienta.

Luta da Frente do Pedágio – Arilson ressalta que a Frente que não é de esquerda nem de direita. “A nossa luta, que conta com o apoio até o momento de 30 dos 54 deputados, é pela na defesa dos direitos do povo paranaense, é pela menor tarifa, pelo menor tempo de contrato e mais obras”, afirma.

Próximas audiências – Guarapuava (18/2), Francisco Beltrão (19/2), Maringá (25/2), Apucarana (26/2), Curitiba (4/3) e Ponta Grossa (5/3).