Ribeirão Claro tem quase 3 mil pacientes a espera de atendimento

Pacientes aguardam por exames de imagem, atendimento médico especializado e tratamentos odontológicos

Da Redação

Número de pessoas em filas representa um percentual de aproximadamente 28% da população de Ribeirão Claro
CRÉDITO: Divulgação

Após ter um histórico de referência na região do Norte Pioneiro, a área de saúde de Ribeirão Claro vive uma crise sem precedentes. A situação deixada pela gestão anterior, mostra o verdadeiro descaso com a população. Um levantamento elaborado pela Secretaria Municipal de Saúde, até o dia 31 de dezembro de 2020, aponta que 2.958 pessoas aguardam por atendimento médico especializado, exames de imagem e tratamentos odontológicos.

O exorbitante número de pessoas representa um percentual de aproximadamente 28% da população, e não contabiliza nenhum protocolo registrado no ano de 2021.

São1.329 pacientes aguardando por exames de imagem, tais como, colonoscopia, endoscopia, eletrocardiograma, eletroencefalograma doppler de membros e outros. 966 pessoas estão na fila para consulta de especialidades médicas, 338 aguardando para tratamento de canal dentário, 85 pacientes esperando para prótese dentária e outras 240 pessoas aguardam para realização de exodontia (extração de ciso, cirurgias e entre outros).  

O prefeito João Carlos Bonato e a vice-prefeita Ana Maria Baggio Molini, que coordena a Saúde, relatam que esse será mais um dos desafios no setor. “A meta é diminuir essa fila de longas esperas de forma estruturada. Realizar ações efetivas e garantir a solução para a população”, destaca Bonato.

Ana frisa que a equipe da Saúde está trabalhando com muita determinação para reduzir com o máximo de urgência as filas. “A saúde tem pressa e nós faremos o que for possível, dentro das limitações do setor”, justifica Ana. 

CONTRATOS – O início da crise na Saúde, foi inicialmente veiculado pela Tribuna do Vale quando a prefeitura do Município divulgou uma nota de esclarecimento à população alertando que alguns serviços, medicamentos e suprimentos fornecidos pela Secretaria Municipal de Saúde, estão suspensos temporariamente em virtude do encerramento dos contratos no ano de 2020.

O absurdo dessa situação ocorre em virtude da falta de organização da gestão anterior, que não programou novas licitações para continuar atendendo a demanda da população.