Estado abre editais para seleção de orientadores e professores para programa

Da Assessoria 


A Coordenação Estadual do Programa Paraná Fala Idiomas abriu editais para seleção de bolsistas com vagas para orientadores pedagógicos e também tutores/professores, que atenderão aos alunos selecionados pelo Programa Estadual “Ganhando o Mundo”. O Programa levará à Nova Zelândia 100 alunos do Ensino Médio da rede pública para intercâmbio no segundo semestre deste ano.

As inscrições para orientadores pedagógicos e tutores/professores devem ser realizadas até o dia 25 de janeiro. As informações estão detalhadas nos editais, disponíveis no endereço: cri.uenp.edu.br/index.php/editais-cri/editais-2021.

Para a função de Orientador Pedagógico, são duas vagas ofertadas. Os profissionais deverão ser graduados em Letras Português/Inglês por uma das sete Universidades Estaduais do Paraná, e, preferencialmente, pertencer ao quadro próprio de uma delas (UEL, UEM, UEPG, Unioeste, Unicentro, UENP, Unespar). A bolsa para os profissionais graduados é de R$1.030 mensais para dedicar-se 20horas semanais ao projeto.

Para a função destinada aos estudantes de graduação, são cinco vagas ofertadas, para atuarem como tutores/professores. A bolsa para os estudantes de graduação será no valor de R$745 mensais para uma dedicação de 20 horas semanais presenciais ao projeto. Os estudantes de graduação deverão estar matriculados em uma das sete universidades estaduais do Paraná no curso de Letras/Inglês/Inglês, e ter, preferencialmente, nível linguístico B1 em Língua Inglesa e conhecimentos em informática. 

GANHANDO O MUNDO

O Programa é uma iniciativa inédita do Governo do Estado do Paraná, por meio da Secretaria de Estado da Educação e do Esporte, de fomentar a oportunidade de intercâmbio para estudantes de Ensino Médio dos colégios estaduais. O programa levará nesta primeira edição 100 estudantes para a Nova Zelândia. A viagem ocorrerá no segundo semestre de 2021, desde que não haja restrições em razão da pandemia da Covid-19. O objetivo é oferecer oportunidade de desenvolvimento da autonomia dos estudantes, diante da experiência de morar em outro país, e o aperfeiçoamento da língua inglesa na formação acadêmica em instituições de ensino estrangeiras