Confiança do empresário do comércio paranaense inicia o ano em queda

Índice aferido pela CNC e Fecomércio PR mostra que as empresas de menor porte são as menos confiantes

Da Assessoria


O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC), monitorado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), ingressou o ano em queda. Após seis meses de crescimento, o indicador que afere a confiança dos dirigentes de empresas do comércio baixou 1,1% em janeiro e ficou em 107,8 pontos. Já na comparação com janeiro de 2020, quando ninguém sabia o difícil período que estaria por vir, a diferença é de 16,3% negativos. Mesmo assim, por estar acima da margem de 100 pontos, o indicador é considerado favorável, status recuperado desde o mês de outubro de 2020.

O ICEC é composto por três fatores: condições atuais, expectativas e investimentos. Na comparação com dezembro, somente o quesito Condições Atuais do Empresário do Comércio (ICAEC) apresentou melhora na opinião dos empresários entrevistados, com elevação de 1,8%. Os Investimentos do Empresário do Comércio (IIEC) permaneceram inalterados em relação ao último mês de 2020, enquanto as Expectativas do Empresário do Comércio (IEEC) caíram 3,3%.

Todos os subindicadores estão favoráveis (acima de 100 pontos) entre as empresas de maior porte (+ de 50 empregados), entre as quais o ICEC marca 134,7 pontos. Nas empresas com até 50 empregados, o indicador é de 107,3 pontos em janeiro, e apenas a ICAEC está abaixo dos 100 pontos, indicando que as empresas de menor porte são as mais afetadas pela pandemia e a maioria dos dirigentes dos pequenos estabelecimentos comerciais avaliam que as condições atuais da economia estão piores.