Com 125 casos ativos, prefeita de Andirá desabafa: “acabou a festa”

Sem colaboração da população, Município vai tomar medidas mais restritivas para conter o avanço do coronavírus

 Prefeita e Secretária de Saúde pedem mais uma vez pela ajuda da população para frear o contágio
CRÉDITO: Reprodução

Da Redação


Com 125 casos ativos de Covid-19, a prefeita de Andirá, Ione Abib, juntamente com a secretária Municipal de Saúde, Ednyra Godoy, desabafaram através um vídeo gravado nesta sexta-feira, 15, sobre a falta de conscientização da população que continua fazendo aglomerações de forma indiscriminada. O alto número de pessoas contaminadas levou ao desespero as autoridades que esbravejaram “acabou a festa”.

Segundo Ione, a partir desta sexta-feira (15), passa a valer um novo decreto que impõe o fechamento de estabelecimentos comerciais como bares, restaurantes, lanchonetes e afins a partir das 21 horas. “Vai haver fiscalização, e 21 horas é 21 horas, não é 21h03min. Vamos ser mais firmes. Vai ter fiscalização nas casas de lazer também e vamos autuar se estiver tendo festa. Multa para o dono e multa para quem estiver na festa. A população ultimamente não está colaborando de maneira nenhuma”, alerta. 

A prefeita enfatiza que o monitoramento está a cada dia mais difícil, pois a Saúde de Andirá não está aguentando mais cuidar de tanta gente. “Estávamos caminhando muito bem, mas a população não está se ajudando e não está nos ajudando. Está faltando compaixão pelos profissionais de saúde, que há 10 meses estão numa situação de temor trabalhando para melhorar a saúde da população. Precisamos continuar com o comércio e atividades empresariais funcionando porque sem economia realmente não tem como irmos para frente. Por isso vamos restringir o que não é necessário”, explica.
O município de Andirá tem um dos menores índice de óbitos da região, porque vem atuando no tratamento precoce. “Nossos médicos são altamente preparados. Nos preparamos com uma unidade Sentinela, com atendimento no hospital, mas não vamos conseguir acompanhar a loucura da nossa população com as festas, saídas, viagens e aglomerações desnecessárias. Temos cinco andiraenses entubados em Arapongas. Temos alerta da Sesa que não há mais leitos para internar. Fizemos o que conseguimos, e se continuar assim, vamos perder o controle. Vamos preservar a economia da nossa cidade”, orienta.

A secretária de Saúde, conta que a população tem cobrado nas redes sociais e através de denúncia anônima. “Não é o comércio que tem que sofrer, porque trabalhando todos estão se cuidando. Embora, eu esteja vendo, comerciantes recebendo clientes sem máscaras. Isso é uma afronta. Há vários lugares na cidade que não exigem o uso de máscaras com medo de o cliente deixar de comprar. Pessoas jogando bola, indo para academia sem máscaras, pessoal chegando de viagem, praia e indo trabalhar normalmente, sem qualquer isolamento. E isso tudo está causando uma contaminação exagerada”, desabafa Ednyra.

Às 12 horas desta sexta-feira, dos 28 resultados testados, 20 deram positivo. “Isso é alarmante. O vírus se alastrou porque está havendo “festas na gaiola”, que para quem não sabe, são festas em terrenos baldios, ranchos, em meio à mata, escondidos, onde compartilham narguilé, bebidas, dançam e no dia seguinte vão trabalhar, vão entrar em contato com familiares, colocando todos em risco. Me desculpem os proprietários dos estabelecimentos, mas precisa estar em bar todos os dias? Não temos mais vagas em UTIs. A situação está caótica. Pensem que pode ser um familiar seu que depende”, estoura.

Ambas pedem mais uma vez pela ajuda da população para frear o contágio porque não querem que Andirá se compare a situação do estado da Amazônia, que enfrenta uma crise por falta de oxigênio.