Santo Antônio da Platina

Vereadores debatem problemas da Zona Azul com empresa responsável e prefeitura

Estacionamento rotativo reativado há pouco mais de um mês é alvo de críticas

Fotos: Antônio de Picolli

Luiz Guilherme Bannwart – Tá no Site

A polêmica em torno da Zona Azul de Santo Antônio da Platina foi debatida na manhã desta terça-feira (12), em reunião convocada pela Câmara de Vereadores. Além da G2 Empreendimentos e Logística Ltda, responsável pela gestão do estacionamento rotativo, participaram representantes do Executivo, sociedade civil e imprensa.

Reativado há pouco mais de um mês, o ponto central das reclamações dos usuários é a cobrança de R$20,00 por pós-uso do estacionamento rotativo. Os vereadores José Jaime Mineiro, Miriam Montanheiro, Edson Muniz – o ‘Buchecha’, Luciano de Almeida Moraes – o ‘Vermelho’, Flavinho Mayorki, Eduardo Ferreira e Odemir Jacob – o ‘Breno’ cobraram explicações à G2 Empreendimentos e Logística Ltda e sugeriram mudanças no serviço prestado pela empresa ao município.

O presidente do Legislativo, José Jaime Mineiro, reconhece a importância da Zona Azul, porém, salientou que a população foi mal informada e orientada sobre a reativação do serviço. “As reclamações são unânimes e deixam claro que os usuários estão mal orientados”, pondera Mineiro.

A vereadora Miriam Montanheiro disse que impressão que se tem é que o objetivo da empresa com a cobrança no valor de R$20,00 é punir e arrecadar, sem tolerância de tempo para que os usuários possam recorrer aos meios de pagamento da taxa de estacionamento. “Seria necessário ao menos 90 dias para ampla publicidade e orientação aos usuários, bem como instrução aos próprios ‘Amarelinhos’ – agentes da Zona Azul”, sugere.

Os diretores da G2 Empreendimentos e Logística Ltda, Jones Alves e Gilberto Guidorizzi, explicaram que a empresa cumpre rigorosamente o que rege a Lei Municipal, conforme os critérios estabelecidos para a implantação do estacionamento rotativo. Eles esclareceram sobre os meios de pagamentos das taxas e de que forma os recursos arrecadados serão revertidos em benefícios à população, salientando que parte da taxa cobrada pelo pós-uso (R$8,00 dos R$20,00) podem ser utilizados pelos usuários para pagamento da Zona Azul. “Estamos aqui para ouvir e debatermos juntos a melhor solução para todos. As reivindicações serão discutidas junto ao Departamento Municipal de Trânsito e a prefeitura, para viabilizarmos melhorias a essas demandas o mais rápido possível”, assinalou Jones Alves, diretor comercial da G2.

A próxima reunião ficou marcada para sexta-feira (22) na Câmara de Vereadores.

Deixe um Comentário