Educação

Ensalamento das provas do PSS para contratação de professores temporários é divulgado

Provas estão previstas para o próximo domingo (10), de forma presencial em cidades-sede dos 32 Núcleos Regionais de Educação (NREs). Segundo a Seed, cerca de 40 mil inscritos estão aptos a realizar a prova.


Governo prevê a contratação de 4 mil professores — Foto: Reprodução/RPC

Da Redação G1


A organização do Processo Seletivo Simplificado (PSS) para contratação de professores temporários na rede de ensino do Paraná divulgou nesta segunda-feira (4) o ensalamento das provas.

A avaliação está prevista para o próximo domingo (10), de forma presencial nas cidades-sede dos 32 Núcleos Regionais de Educação (NREs).

Inicialmente, as provas do PSS estavam marcadas para dezembro, mas foram adiadas duas vezes diante da pandemia do novo coronavírus.

De acordo com a Secretaria Estadual da Educação (Seed), são esperados cerca de 40 mil candidatos aptos a realizar a prova.

O edital prevê a contratação de 4 mil professores temporários que deverão atuar na rede estadual de educação em 2021. Segundo a secretaria, os salários dos selecionados podem chegar a até R$ 3.720.

O governo estadual informou que serão tomadas medidas de segurança contra a Covid-19, como a obrigatoriedade do uso de máscaras e a higienização prévia das salas.

Os locais de prova terão álcool gel disponibilizado e todas as pessoas terão verificação de temperatura na entrada.

Pedidos de adiamento

Por conta dos riscos da prova presencial em meio à pandemia, o Ministério Público do Paraná (MP-PR) chegou a entrar no caso e recomendar a suspensão do processo.

Os promotores pediram também para que fossem suspensas as eleições para diretores de colégios estaduais, o que foi acatado pela 5ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba.

Protestos contra a prova

A inclusão de uma prova de conhecimentos no PSS foi alvo de protestos por parte da categoria em 2020.

Professores e a APP-Sindicato, que representa a categoria, pediram a suspensão do edital, alegando serem contrários ao formato de seleção do processo com prova escrita como critério de seleção e a cobrança de inscrição.

Eles ocuparam a sede da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) e um grupo chegou a fazer greve de fome em frente ao Palácio Iguaçu, sede do governo do estado.

Deixe um Comentário