Economia

Varejo paranaense tem sexta alta consecutiva

Vendas do comércio em outubro foram melhores do que no mesmo mês de 2019, sem pandemia

Da Assessoria


O varejo paranaense teve, em outubro, a sexta alta consecutiva nas vendas segundo a Pesquisa Conjuntural da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR). O aumento foi de 9,81% em relação a setembro. Outubro foi o segundo mês em que o faturamento superou o mesmo período de 2019 em 4,14%. Em setembro as vendas do comércio também foram 3,21% maiores do que o registrado em setembro de 2019, indicando a recuperação do setor terciário. Mas essa elevação ainda é insuficiente para superar as perdas do início da pandemia, sendo que o acumulado do ano é de queda de 5,81%. 

A retomada da economia tem tido comportamento diferenciado entre os setores. O restabelecimento do fluxo de negócios está acontecendo, mas não de forma linear. Alguns ramos tiveram crescimento expressivo, tais como móveis, decorações e utilidades domésticas, que teve vendas 35,79% superiores a outubro do ano passado e acumula alta de 15,38% de janeiro a outubro. As lojas de materiais de construção também tiveram movimento 11,20% maior do que em outubro de 2019. 

Por outro lado, há setores que acumulam grandes perdas, tais como calçados e vestuário e tecidos, com redução média de 36% de janeiro a outubro, com picos de vendas em datas comemorativas, tais como o Dia das Crianças, que fez com que o faturamento das lojas de calçados em outubro fosse 36,26% superior a setembro, bem como das lojas de vestuário e tecidos, com aumento de 22,31%.

Esses indicadores revelam mudanças no padrão de consumo da população. Ao permanecer mais tempo em casa, as pessoas começaram a reparar em detalhes e promover melhorias em suas residências, sem contar a necessidade das adaptações para levar trabalho e estudos para o ambiente doméstico, motivando a compra de mesas e cadeiras de escritório, notebooks e computadores. Já os itens de calçados e vestuário foram deixados em segundo plano, com a adoção de vestimentas mais confortáveis ou casuais para a permanência no lar. 

Análise regional

Na comparação com outubro de 2019, praticamente todas as regiões do Estado comemoraram elevação nas vendas, com exceção de Maringá, que teve baixa de 1,80%. O maior crescimento do comércio foi verificado no Sudoeste, com aumento de 8,33%. Na região Oeste houve alta de 7,68%, seguida por Londrina (5,66%), Ponta Grossa (5,17%) e Curitiba e Região Metropolitana (3,16%). 

Porém, no acumulado do ano, as perdas mais expressivas são sentidas pelo varejo de Maringá, com baixa de 17,51%. Ponta Grossa é a região em que os comerciantes tiveram menos prejuízos com a pandemia, com -1,50%. Nas demais regiões, o cenário no somatório de janeiro a outubro também é de retração: Curitiba e RM (-4,41%), Oeste (-5,01%), Londrina (-7,00%) e Sudoeste (-5,77%).


Deixe um Comentário