Ibaiti

Manifestação adiada reúne cerca de 30 policiais federais

Ato foi prorrogado por organizadores em virtude do aumento de casos de Covid-19 na região

Da Redação


O movimento popular e pacífico que estava marcado para esta segunda-feira, 21, em prol de pavimentação da rodovia estadual PR-436 entre Ribeirão do Pinhal e Ibaiti reuniu cerca de 30 policiais federais mesmo com o ato adiado. O protesto, que busca chamar atenção das autoridades, em virtude do descaso do poder público, com os usuários do trecho, foi adiado em virtude do aumento de casos de Covid-19 nos municípios da região.

O forte policiamento deslocado de Curitiba, Londrina e Santo Antônio da Platina para a ocorrência que sequer existiu alertou que se fosse preciso, chamariam mais apoio para desobstrução da rodovia BR-153. Além disso, alertaram aos organizadores do movimento as possíveis sanções em relação ao manifesto, caso tivessem mantido a interdição da rodovia.

“Estamos exercendo direito de cidadão, de reivindicar os direitos, mas estaríamos sujeitos a sanções da mesma forma. Ficou combinado que antes de fazer outro movimento acionar a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Mas provavelmente alguém deve ter levado as autoridades o nosso manifesto de forma distorcida do que ia ser o nosso movimento. A polícia estava organizada para uma ação que estava fora do contexto que estávamos construindo, violento, sem prevenção, segurança”, lamentou um dos organizadores.
Segundo eles, haverá manifestação nos próximos dias, assim que o governo voltar do recesso e a pandemia estiver mais controlada. Não vamos deixar de fazer um movimento por opressão de seja quem for a autoridade. Estamos alinhados e vamos lutar juntos por essa causa com o apoio da polícia vamos fazer a diferença. A repercussão positiva aconteceu. Mobilizamos grande efetivo de policiais”, comentou.
Segundo o grupo, a finalidade da presença do policiamento foi clara, para desobstruir a rodovia federal BR-153, e multar todos os veículos que estivessem parados às margens da rodovia, em torno de R$ 5 mil cada autuação.
A rodovia (PR-436) é a única da região que não possui pavimentação. Com cerca de 58 quilômetros de extensão, os usuários sofrem todo tipo de dificuldade pela situação irregular do piso, coberto por cascalho. E é em dias chuvosos que a situação se agrava, pois, há pontos de alagamento, que vem a interferir no transporte de passageiros, descolamento de moradores das margens da estrada e escoamento da produção agropecuária. O movimento estima que, pelo menos, 80 mil pessoas seriam beneficiadas com a pavimentação do trecho.

Deixe um Comentário