Energia Santo Antônio da Platina

Consumo de energia cresce em Santo Antônio da Platina

Média do consumo de residências aumentou com relação a 2019; pandemia é apontada como um dos motivos

Da Redação


O consumo de energia elétrica residencial cresceu em Santo Antônio da Platina no comparativo entre 2019 e 2020, de acordo com dados fornecidos pela Copel à reportagem da Tribuna do Vale. O aumento abrange tanto o período de inverno quanto a primavera, já com dias de altas temperaturas.

E essa elevação do consumo é, em boa parte, atribuída a pandemia de Covid-19, que trouxe restrições sociais e também aumentou o número de pessoas trabalhando de casa, desde o primeiro semestre de 2020.

Segundo os dados fornecidos pela Copel, o consumo de energia elétrica em unidades residenciais de Santo Antônio da Platina cresceu 4,1% no trimestre mais frio e 4,5% nos meses da primavera, no comparativo entre os números do ano passado e deste ano.

Em junho, julho e agosto de 2019 a média de consumo residencial foi de 142 kwh. Já em setembro, outubro a dezembro consumidores tiveram uma média de gasto de 154 kwh mensais por residência.

Em 2020, houve registro de crescimento em ambos os períodos. A média mensal entre junho a agosto foi de 147 kwh enquanto nos meses de setembro a novembro o consumo médio subiu para 161 kwh nas residências de Santo Antônio da Platina.

De acordo com a Copel, o aumento do consumo de energia elétrica não é uma exclusividade de Santo Antônio da Platina, e sim uma tendência de todo mercado. Em 2020 a classe residencial teve aumento dos números médios em todas as regiões do Paraná – o que reforça o argumento de maior consumo neste período de pandemia.

A Copel é a responsável pelo fornecimento de energia elétrica a 396 dos 399 municípios paranaenses – apenas Jacarezinho, Ribeirão Claro e Barra do Jacaré não possuem a iluminação oriunda da companhia.

ALÉM DA PANDEMIA

Claro que, além da pandemia, existem outros fatores que contribuem para o aumento do consumo, como o aumento do número de aparelhos elétricos e eletrônicos nas residências. A atual popularidade de itens como ar condicionado, micro ondas, portão eletrônico, secador de cabelo e até mesmo decodificadores, que, por exemplo, até há 20 anos eram escassos ou inexistentes, colabora diretamente para o aumento constante do gasto de energia.

É importante lembrar que alguns dos “maiores vilões” das contas de luz são os já citados micro ondas e secador de cabelo além de chuveiro elétrico e geladeira. Para evitar sustos, consumidores devem estar atentos aos selos de consumo na hora de comprar aparelhos eletrônicos.

Deixe um Comentário