Saúde

Ferramenta auxilia no tratamento odontológico de pacientes surdos

Estudo desenvolvido por aluna da Faculdade São Leopoldo Mandic estará à disposição para profissionais da área, de forma gratuita

Da Assessoria

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população surda no Brasil chega a 10 milhões de pessoas. Pensando nos desafios que esse público enfrenta, como a falta de inclusão, a aluna da Faculdade São Leopoldo Mandic, Alethéia Caldeira Gonçalves Alcântara Paranhos, desenvolveu uma tese para facilitar o contato com os cirurgiões-dentistas. O projeto teve a orientação do Prof. Dr. Antônio Sérgio Guimarães, coordenador do curso de mestrado em Disfunção Temporomandibular (DTM) da Instituição.

 O estudo adaptou o protocolo DC/TMD eixo I, que é referência na avaliação clínica dos pacientes com disfunção temporomandibular, e bastante utilizado no Brasil e em outros países, do português escrito para a Linguagem Brasileira de Sinais (Libras), em formato de vídeo.
 “Quando o paciente não entende o que está sendo perguntado ou não consegue expressar com fidelidade suas queixas, o cirurgião-dentista corre o risco de diagnosticar e, consequentemente, cuidar de maneira errônea ou parcial. Sendo assim, a adaptação de protocolos já validados torna o diagnóstico e o tratamento desse público menos difícil e mais confiável”, explica Alethéia.
 

A ferramenta tem como objetivo investigar as dores na face, na cabeça e na articulação da mandíbula de pessoas surdas, ajudando os profissionais frente à avaliação e ao tratamento. O material contém, além dos sinais, legenda e áudio em português, assim como imagens de apoio, para favorecer ainda mais a compreensão do tema.
 

Além disso, a ferramenta será disponibilizada para todos os cirurgiões-dentistas falantes da língua portuguesa, de forma gratuita, por meio do site da SLMANDIC: www.slmandic.edu.br. “Estamos focados na disseminação do conhecimento. Queremos que essa ideia seja adaptada para todo o mundo, nos mais variados idiomas”, destaca o Profº Dr. Guimarães.
 O material com a tradução do protocolo DC/TMD foi realizada por um intérprete fluente em Libras, com proficiência em ensino, tradução e interpretação da linguagem, após simplificação de termos técnicos e modificação prévia do material adaptado. O vídeo resultante tem duração de aproximadamente 18 minutos, e pode ser utilizado por qualquer pessoa interessada.
 

Sobre a São Leopoldo Mandic
 

Considerada uma das dez melhores instituições de ensino superior do País há 12 anos consecutivos no Índice Geral de Cursos (IGC) do MEC, a Faculdade São Leopoldo Mandic reúne, no corpo docente, professores doutores formados pelas melhores instituições de ensino do Brasil e do Exterior. Estruturada com laboratórios de última geração e clínicas odontológicas completas, a Instituição oferece aos alunos vivência prática nos cursos de Odontologia e de Medicina desde o 1º ano, atividades de pesquisa e prestação de serviços comunitários, convênio com hospitais e Unidades Básicas de Saúde, cursos de graduação e pós-graduaçã o. Além de laboratórios com exercícios de simulação realística, utilizando recursos modernos para diagnóstico, o HUB de Inovação e o Barco da Saúde. O corpo docente é formado por doutores e pós-doutores com vasta produção intelectual. A Faculdade São Leopoldo Mandic tem outras nove unidades distribuídas pelo País, que oferecem cursos de pós-graduação e mais uma unidade de graduação em Medicina, na cidade de Araras (SP). Canais: slmandic.edu.br facebook.com/ saoleopoldomandic .

Deixe um Comentário