Joaquim Távora

Prefeito não acata parecer e manda idosa trabalhar em área de risco

Maria Elizabete, de 62 anos, apresentou atestado e nem mesmo com parecer jurídico favorável Gelson Mansur se sensibilizou

Da Redação


Numa atitude que está causando repulsa na comunidade de Joaquim Távora, o prefeito, Gelson Mansur Nassar manteve a determinação para que a servidora municipal Maria Elizabete Santos Silva, de 62 anos, compareça na manhã desta quarta-feira (02) para assumir a função de zeladora na rodoviária da cidade, uma área considerada de alto risco para a saúde e a vida da funcionária, em razão da circulação de muita gente de outras cidades.

Bete, como é mais conhecida, trabalhava na Unidade Básica de Saúde (UBS) Zilda Arns, na condição de auxiliar de serviços gerais, sendo responsável pela limpeza, café, entre outras atividades. Ela acusa a atitude de Gelson Nassar como retaliação por causa do marido, que também é servidor público, ostentar no seu carro um adesivo do candidato opositor Cláudio Revelino, sendo que o gestor apoiava Reginaldo Vilela, que acabou vencendo a eleição.

Bete faz tratamento de saúde em Santo Antônio da Platina e em Joaquim Távora tendo em vista problemas circulatórios e artrose. Diante da decisão do prefeito, seu marido protocolou na Procuradoria Jurídica do Município um atestado no qual o médico recomenda seu afastamento. Mas nem isso sensibilizou o prefeito que manteve a decisão, mesmo com a possibilidade de colocar em risco a vida da funcionária.

A desgraça de Elizabete
Bete caiu em desgraça com o prefeito Gelson ao recebê-lo em sua residência, durante a campanha eleitoral deste ano. Ela não tinha noção que aquele simples ato tornaria sua vida um inferno. O gestor, ao ver o adesivo do candidato opositor no carro do marido da funcionária, falou em alto em bom som: “é, vocês escolheram lado”.

Logo após a saída do prefeito, Maria Elizabete comentou com o marido que a fala do prefeito soara como uma ameaça e chegou a antecipar com ele iniciaria uma perseguição, que veio logo na semana seguinte, após a eleição.

Nem mesmo a vitória de Reginaldo Vilela aplacou a ira do prefeito contra bete e seu marido, que também é operador de máquina da prefeitura. Na terça-feira (17-11) foi informada por sua chefe que seria deslocada para fazer limpeza na rodoviária da cidade. O documento com esta determinação somente foi apresentado nesta terça-feira (01)

Bete não vê saída e anuncia que vai ingressar na justiça pedindo a revogação da medida administrativa que coloca em risco sua própria vida.

Ontem o Jurídico da Prefeitura confirmou que o parecer foi pela licença à servidora com base no atestado médico, mas o Poder Executivo acata se quiser a recomendação da concessão ou não. E o prefeito foi implacável, negando o benefício.

Deixe um Comentário