Editoriais Educação

A Patrulha Escolar e seu papel social.

SD. EDUARDO JOSÉ PEREIRA


Muito preconceito e debates alheios a realidade surgem quando se discute a presença da Polícia na Escola. Infelizmente a sociedade brasileira tem uma percepção muitas vezes dúbia e errônea sobre a ação da Polícia. Se por um lado cobram que a Polícia seja mais repressiva e enérgica, quando assim agem, acusam a polícia de ser excessivamente violenta.

E quando a Polícia é instada a agir em situações que envolvam o ambiente escolar, os ânimos se acirram ainda mais. A atuação da Polícia no espaço escolar, até os anos 90 eram essencialmente no sentido de, nos grandes centros, coibir acidentes nos horários de entrada e saída dos alunos. Raramente a ação policial se dava dentro do espaço escolar.

Porém, com o aumento da criminalidade urbana, a partir dos anos 90, as ocorrências dentro dos muros da escola tem um elevado aumento. E a presença policial começa a ser cada vez mais requisitada.

A partir de experiências na região metropolitana de Curitiba, para enfrentar problemas dentro e nos entornos da escola, surge uma parceria entre a Secretaria da Educação e o comando da Polícia Militar.

Após diversas experiências, tentativas, correções, foi criado pela Lei Estadual nº 15.745 de 20 de dezembro de 2007 o Batalhão  de Patrulha Escolar Comunitária, que a partir de 2013 recebe o nome de seu idealizador, Coronal Anselmo José de Oliveira (falecido nesse ano).

É através do BPEC que ocorrem os dois principais programas de aproximação da Policia Militar e a comunidade escolar: O Proerd, programa de prevenção ao uso de entorpecentes, e a Patrulha Escolar Comunitária, onde se efetiva a atuação da PM nas escolas públicas.

A principal mudança é que a presença da Polícia nas escolas passa a ser mais constante. Embora a percepção que passe é de que os problemas internos estão aumentando, a experiência tem mostrado exatamente o contrário.

Segundo dados da Secretaria da Educação, 97% das ações da Patrulha Escolar tem sido medidas preventivas. Ou seja, a ação de conscientização, orientação e aproximação dos alunos e da Polícia Militar, em um ambiente de respeito e confiança. Mesmo nos 3% dos casos em que as ações precisam ser repressivas, a atuação da Patrulha tem sido no sentido tentar resolver a questão dentro do ambiente escolar, envolvendo fundamentalmente a família e a escola. O grande diferencial nestas ações é a preparação diferenciada que os agentes policiais recebem, para estarem preparados para atuarem com os adolesce nte e jovens, bem como com toda a comunidade escolar.

A Patrulha Escolar tem muitos desafios a ser enfrentados, principalmente na questão do efetivo, que em muitos casos não é o suficiente para atender a demanda, mas é indubitavelmente um programa que devem ser ampliado e mantido, uma vez que aproxima a população e sua força policial, gerando confiança e respeito, e aumentando a segurança de nossas escolas.

Leave a Comment