Saúde

Novembro Azul Pet: câncer de próstata também afeta animais

Machos idosos são os mais acometidos. Acompanhamento do médico veterinário é a melhor forma de prevenir alterações prostáticas

Médica Veterinária Natália Camila explica sobre a importância do diagnóstico precoce
CRÉDITO: Arquivo Pessoal

Da Redação


Assim como em homens, animais machos também estão susceptíveis a desenvolver câncer de próstata e outras alterações prostáticas. E para alertar aos tutores sobre a importância da doença, criou-se o Novembro Azul Pet – Campanha de Prevenção e Conscientização ao Câncer de Próstata em Cães e Gatos.

Segundo pesquisas, as doenças prostáticas são comuns em cães e gatos de qualquer raça, sendo mais identificadas em animais acima de cinco anos de idade. As principais afecções prostáticas dos cães incluem: hiperplasia prostática benigna, prostatite aguda ou crônica, abcessos, cistos, cistos paraprostáticos e neoplasias. 

De acordo com a médica veterinária, Natália Camila Minucci Bonatto, mestranda no Programa de Ciência Animal da Universidade Estadual de Londrina (UEL), de maneira geral, as neoplasias prostáticas ou câncer de próstata nos animais ocorre quando há mutações no DNA das células levando a falhas em seus mecanismos de regulação, o que desencadeia uma multiplicação anormal e desordenada do tecido prostático.  “As causas do câncer de próstata em cães e gatos ainda são desconhecidas. Dessa forma, o acompanhamento anual de cães e gatos machos acima de 5 anos de idade pelo médico veterinário ainda é a melhor forma de prevenção”, explica.

SINTOMAS – Natália afirma que os principais sintomas relacionados a alterações prostáticas incluem: perda de peso, dificuldade de defecar e/ou urinar, fezes em formato de fita, urina com sangue e gotejamento de sangue pelo pênis. “Outros sintomas como vômito, inchaço de patas traseiras, dores abdominais e lombares, e até mesmo dificuldade respiratória, podem ser observados dependendo da gravidade da doença”, alerta a médica veterinária.

DIAGNÓSTICO – A médica veterinária detalha que as alterações na próstata são inicialmente identificadas por meio da palpação retal durante o exame físico por um profissional habilitado. “Caso o médico veterinário suspeite de alguma anormalidade na consistência ou no tamanho da próstata, ele irá solicitar exames de imagem. Se comprovadas alterações nesses exames, a confirmação do diagnóstico é feita por meio de punção aspirativa e/ou da biópsia no tecido prostático, seguida de exame citológico e/ou histológico, respectivamente”, esclarece.

PROGNÓSTICO – O tratamento e o prognóstico dependerão do tipo de câncer diagnosticado nos exames confirmatórios e das condições clínicas do paciente, por isso é essencial o acompanhamento anual com um médico veterinário de confiança. “Porém, infelizmente o diagnóstico de câncer de próstata em cães e gatos ocorre na grande maioria de forma tardia, o que limita as opções de tratamento, bem como o sucesso terapêutico, exercendo influência direta no prognóstico”, frisa.

ORIENTAÇÃO – Natália orienta que a melhor estratégia contra o câncer de próstata em animais é a prevenção. “Por isso é essencial que seu pet visite o veterinário regularmente para a detecção precoce não só dessa enfermidade como também de diversas outras doenças que possam ser prevenidas, garantindo dessa forma, bem-estar e longevidade do seu melhor amigo”, finaliza.

Deixe um Comentário