Polêmica

Há 12 dias família aguarda liberação de corpo no IML

Corpo foi carbonizado e IML afirma que só pode liberar o corpo mediante prova genética ou decisão judicial


Bruno perdeu a vida dia 14 e ainda não foi sepultado 

Da Redação


A trágica morte de um rapaz de 20 anos ganha repercussão dramática a cada dia que passa na espera pela liberação do corpo, que há 12 dias está no IML (Instituto Médico Legal) de Jacarezinho. 

Bruno Pertlak, de 20 anos, era morador de Wenceslau Braz e perdeu a vida em um acidente automobilístico na noite do último dia 14. Com a colisão, o corpo da vítima, que estava sozinha no veículo, ficou carbonizado. 

Aí teve início a longa angústia por parte de familiares que ainda não teve fim, já que até a tarde desta quarta-feira (25), não havia ocorrido a liberação do corpo para o sepultamento. “O que a gente quer é sepultar o Bruno, só isso. Ele estava sozinho no carro da família, reconhecemos o corpo por algumas roupas, os documentos pessoais com a carteira estavam dentro do carro. Mas infelizmente o IML não libera”, reclama um tio da vítima. 

A família já entrou com alvará judicial para liberação do corpo e aguarda decisão da justiça de Wenceslau Braz para, finalmente, ter o direito de se despedir de Bruno. “O IML fala que precisa fazer DNA para poder liberar, mas isso pode demorar meses. Agora esperamos que a justiça dê o direito de nos despedir dele”, continua o tio da vítima. 

NORMA DO IML
Segundo Evandro Seabra, perito chefe da Polícia Científica de Jacarezinho, pelo alto nível de carbonização do corpo, apenas uma prova genética garante, no aspecto legal, a liberação para sepultamento. 

“Nós instruímos a família a fazer um pedido judicial, porque a lei não nos permite liberar o corpo sem provas objetivas. Não que a versão da família não seja verdadeira, mas a lei é essa e temos que cumprir. Como não há possibilidade de reconhecimento pela arcada dentária nem de fazer o confronto das digitais, esse é o único caminho”. 

ACIDENTE
Bruno perdeu a vida ao ser atingido por outro veículo que trafegava no sentido oposto da PR-092, próximo ao acesso ao Patrimonio São Miguel, no trecho entre Wenceslau Braz e Siqueira Campos. 
O Escort que dirigia, carro da família, pegou fogo e o jovem morreu carbonizado. O motorista do outro veículo envolvido ficou gravemente ferido e segue internado em estado grave.

Deixe um Comentário