Jacarezinho

Luiz Antônio Setti tem a pior votação a prefeito em toda região

Além dele, outros cinco candidatos a prefeito em municípios do Norte Pioneiro ficaram com votações na casa do 1%

Ex deputado, Setti teve irrisórios 1,21% dos votos a prefeito em Jacarezinho

Da Redação


Eleição e decepção são coisas que andam juntas. Afinal de contas, existem poucas vagas para muitos candidatos. Mas se a derrota acaba sendo a realidade da maioria dos postulantes a cargos eletivos, votações irrisórias se tornam marcas negativas e, principalmente em cidades pequenas, não raramente viram motivo de piadas entre adversários. Seis candidatos entre municípios que compõe a Amunorpi (Associação dos Municípios do Norte Pioneiro) obtiveram 1% da preferência do eleitorado local e saem do pleito de 2020 enfraquecidos politicamente.

Por dois motivos, o caso mais emblemático recai obrigatoriamente sobre Luiz Antônio Setti (PSL), que disputou a prefeitura de Jacarezinho nestas eleições municipais. Primeiro porque o médico de família tradicional no município foi eleito duas vezes deputado estadual entre o fim de década de 80 e o começo da década de 90, período que coincidiu com o mandato de prefeito do seu pai, Ademar Setti. Segundo porque o ex-parlamentar teve o pior índice entre todos os 82 candidatos que disputaram as eleições majoritárias nos 25 municípios da região: 1,21% da preferência do eleitorado.

Tendo como candidato a vice Celso Rossi Júnior e o apoio público do atual prefeito de Jacarezinho, Sérgio Eduardo de Farias, o Dr. Sérgio (DEM), a campanha de Setti foi muito mais focada em ataques a um adversário específico – no caso Marcelo Palhares (PSD), que foi o vencedor do pleito – do que em apresentar propostas para o município.

O resultado foram os humilhantes 251 votos, que representaram 1,21% dos votos de Jacarezinho, percentual menor aos obtidos por 19 candidatos que concorreram, à Câmara de Vereadores. Além de ficar em último na disputa com outros cinco nomes no município, o desempenho, como já citado, acabou sendo o pior em toda a região.

Mas não foi só Luiz Antônio Setti que teve em 15 de novembro para esquecer. No ranking das piores votações da região quem aparece na segunda colocação é Waldir Coelho (Avante), que concorreu à prefeitura de Ribeirão do Pinhal e conquistou 1,36% dos votos.

Depois outra situação ímpar com dois candidatos da mesma cidade. Rafael Morais (PTB) e Dedé da Calha (Cidadania) foram candidatos a prefeito em Cambará e conseguiram, respectivamente 1,57% e 1,58 da preferência do eleitorado no município e ficam na terceira e quarta colocações entre os menos votados no Norte Pioneiro.

Valter do PT, em Santo Antônio da Platina, concorreu ao cargo de prefeito pela segunda vez e novamente não conseguiu números expressivos. Desta vez foram 1,66% dos votos no maior colégio eleitoral da região e a quinta colocação entre as piores votações.

Em Japira, município que teve menos de 3 mil votos válidos nestas eleições e nada menos que sete candidatos a prefeito – maior número em toda a região – mais um postulante que não chegou a 2% de votos, o que certamente foi influenciado pela quantidade de postulantes. Neste cenário repleto de opções Robertinho (PRTB) teve 1,93% dos votos locais e fecha este ranking.

Deixe um Comentário