Jacarezinho

Jacarezinho tem votação relativamente tranquila e com poucas filas

Após período eleitoral repleto de ataques entre candidatos, dia da votação acontece sem maiores incidentes

 

Da Redação


A votação em Jacarezinho aconteceu de forma relativamente tranquila e sem maiores filas na maioria das seções eleitorais. Apesar de algumas denúncias de boca de urna e discussões entre eleitores adversários, não há registro de detenções ou maiores problemas até às 15h deste domingo (15).

Embora tenha o registro de algumas aglomerações por conta das restrições do número de pessoas dentro das salas onde estão as urnas eletrônicas, a princípio não houve filas que fossem consideradas atípicas.

No Colégio Rui Barbosa, por exemplo, um dos maiores locais de votação de Jacarezinho, os eleitores não demoraram mais do que poucos minutos entre o processo de chegada na escola e a finalização dos votos.

Mesma situação com relação a boca de urnas e discussões entre simpatizantes dos candidatos. Sabe-se que a Polícia Militar foi acionada inúmeras vezes, mas na maioria das oportunidades a simples presença dos policiais já inibiu maiores problemas.

Hoje Jacarezinho tem 28.976 eleitores aptos a participar do pleito que definirá prefeito, vice-prefeito e nove vereadores. São seis candidatos a prefeito e outros 155 candidatos ao cargo de vereador. Estima-se que entre 22 a 24 mil eleitores compareçam à votação.

 

CAMPANHA CONTURBADA

Se o dia da eleição não foi dos mais tumultuados, o mesmo não se pode dizer do período eleitoral, onde foram inúmeras as situações que extrapolaram a disputa em si. Começando pela impugnação de uma das candidaturas, a de Tina Toneti (PT), que chega ao dia da eleição sem ter certeza do que acontecerá caso fique em primeiro lugar nas urnas.

Isso porque, enquadrada na lei do Ficha Limpa, a petista teve o registro de candidatura negado pela Justiça Eleitoral. Após recorrer ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), nova derrota. Desta forma existe uma enorme possibilidade de Jacarezinho ter o presidente da câmara assumindo a chefia da prefeitura caso Tina seja a mais votada.

A situação de Tina parece ter aflorado os ânimos e não foram poucas as trocas de acusações e notificas falsas difundidas em todo o período de campanha – algumas, sobre o candidato Marcelo Palhares (PSD), inclusive com ordem judicial para ser retiradas do ar por serem comprovadamente inverídicas.

Falando no candidato do PSD, Marcelo foi agredido na última semana por um cidadão que confirmou ter recebido R$ 20 para agredir o postulante ao cargo de prefeito. Não bastasse isso, a agressão foi “comemorada” por dois funcionários da prefeitura (o secretário municipal de Finanças, Gustavo Scarpelini, e a professora da rede municipal Regina Toneti), que enalteceram o ato de violência em seus perfis em redes sociais.

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um Comentário