Ibaiti

Zapata quer fazer a diferença na Câmara Municipal de Ibaiti

O jornalista Carlos Zapata, popularmente conhecido por Zapata, é candidato a vereador no município de Ibaiti, onde mantém seu jornal impresso e um site de notícias.

Da Assessoria


É filiado ao PSL, e vai para a campanha com o slogan “SE NÃO FOR BOM PARA O POVO, NÃO É BOM”, pois quer defender a população no que for necessário. Seu número é 17789, e pratica a teoria dos 3 H, “honra, honestidade e humidade“.

Zapata tem credibilidade no meio jornalístico e sua popularidade é muito grande, prestígio que vem das coberturas inesquecíveis de eventos, recepções, aniversários e festas de rodeio de cidades vizinhas, onde, juntamente com o fotógrafo, Saulo de Azevedo, (falecido há 3 anos) escreveram e clicaram sobre artistas, peões e animais, seguranças, publico em geral e o pessoal da área técnica, bem como todos os trabalhadores do evento, sempre postando-os em suas redes sociais.

Nascido na cidade de São Paulo em 1955, mudou para São Bernardo do Campo em 1983 onde ficou até 2003, posteriormente migrou para Londrina e finalmente chegando à Ibaiti em 2013 quando fundou o jornal na cidade.

Embora com pouco mais de 3 anos na cidade, já nas as eleições de 2016, recebeu vários convites para lançar-se candidato, mas achava que não tinha o direito de tomar o lugar de pessoas que estavam envolvidas na politica local, pois não assistira nenhuma eleição municipal anteriormente, e pensava que podia contribuir muito mais para a população exercendo seu papel de informação.

Esteve na presidência do Conselho da Comunidade da Comarca, entidade que dá assistência aos familiares de presos de três cidades, Ibaiti (sede), Japira e Conselheiro Mairinck e da cadeia pública local, sendo um auxiliar para gerar condições para a harmônica integração social do condenado e do internado, e tendo passado por duas rebeliões que o abalou sensivelmente sobre a situação precária, a que esta sujeita a população carcerária.

Como profissional de imprensa que é, acompanhou a politica local, testemunhando mandos e desmandos da administração pública, descobrindo coisas e denunciando algumas ao Ministério Publico Estadual, e outras passadas a vereadores que nada fizeram, simplesmente se calaram, e deduz por qual motivo.

Cansado de pedir favores, cópias de documentos, relatos de pronunciamentos e verificar licitações fraudulentas, resolveu tentar estar vereador para não pedir mais “favores”, mas sim, exigir explicações do que ocorre, com a finalidade de aprovar ou contestar e ainda informar a população do que realmente acontece nos meios políticos administrativos.

Deixe um Comentário