Ribeirão Claro

A cidade está sem água e Mario promete teleférico

Promessas de campanha apelativas viram piada na reta final das disputa eleitoral 


Mario Pereira não gasta R$ 100 mil para conserto de poço artesiano, mas quer gastar milhões na construção de teleférico
CRÉDITO: Reprodução

Da Redação


A menos de uma semana para as eleições, o eleitorado de Ribeirão Claro presencia um verdadeiro bombardeio midiático de propostas apelativas do candidato à reeleição Mario Augusto Pereira (PSC), junto à sua vice Eliana Cortez (MDB).

O cardápio de intenções e propostas descamba para o apelativo, folclórico ou demagógico, chegando a ser uma utopia diante do atual cenário que se encontra o município. A última pérola foi anunciar a construção de um teleférico na cidade, só que Mário Pereira sequer resolveu o problema do abastecimento de água na cidade. Além disso, também não abriu a Prainha da Cachoeira, local turístico que já está pronto e movimenta o setor no Distrito da cidade.

Neste domingo, as redes sociais foram palco de críticas e os ânimos chegaram a ficar exaltados entre os internautas, que criticavam a atual administração pelo descaso com os moradores pela falta de água.


 Persiste o drama da água em Ribeirão Claro
CRÉDITO: Reprodução

O problema, que não é de hoje, já foi veiculado pela Tribuna do Vale recentemente. E para diretor do SAAE (Serviço Autônomo de Água e Esgoto), Antônio Carlos Chiarotti, a empresa não é obrigada a fornecer água 24 horas por dia, nem 365 dias no ano. Mas Mario Pereira continua a anunciar também a construção de mais casas, mesmo que sem água nas torneiras.

Em seu plano de governo o candidato diz “ampliar investimentos na rede de abastecimento de água para manter o padrão de qualidade, evitando a volta de problemas de falta de água”, diz em trecho.

Uma das moradoras indignadas com o descaso, denunciou sobre o referido trecho do plano de governo de Mario. “Manter o padrão de qualidade? Qual qualidade ele se refere? Porque sofremos com falta de água toda semana e quando volta a água é suja. Evitando a volta de problemas? Os problemas persistem e não é de hoje, será que só agora ele enxergou? Ou será que o povo vai puxar água para as casas pelo teleférico?”, questionou uma das denunciantes que preferiu não se identificar.

SOLUÇÃO – O que causa estranheza é que, para resolver definitivamente o problema da água no município, a prefeitura deveria desembolsar cerca de R$ 50 mil a R$ 100 mil para consertar a bomba do poço artesiano perfurado pelo ex-prefeito Geraldo Maurício Araújo. O poço tem capacidade de produção diária de 1 milhão de litros, mas Mário Pereira recusou a contratação da empresa para execução dos serviços. E por outro lado anuncia agora a construção de um teleférico no município.

Em um rápido levantamento na internet, é possível observar que construção de um teleférico não custa entre R$ 50 mil e R$ 100 mil, valores proporcionais ao conserto da bomba no poço. Os valores custam no mínimo R$ 4,7 milhões – valor custeado pela cidade turística de Bonito (MS).

Ribeirão Claro precisa sim de investimentos no turismo, que é seu maior potencial, mas resolver o abastecimento de água no município, atendendo aos anseios da população, também deveria ser uma das prioridades da atual administração.

Deixe um Comentário