Eleições

Ministério Público Federal se manifesta contra recurso de Tina

Ex-prefeita coleciona revezes na justiça e pode ter a candidatura definitivamente barrada

Tina Toneti sofreu mais uma derrota jurídica essa semana ao tentar se candidatar
Crédito: ARQUIVO

JACAREZINHO
Da Redação




O Ministério Público Federal (MPF), através da Procuradoria Regional Eleitoral, emitiu parecer pela manutenção do indeferimento do pedido de registro de candidatura de Valentina Helena de Andrade Toneti, a Tina Toneti (PT), que corre contra o tempo para se manter na disputa pela prefeitura de Jacarezinho.

De acordo com o despacho da Procuradoria Regional Eleitoral, o órgão manifestou-se “pelo conhecimento e desprovimento do Recurso Eleitoral de modo a manter hígida a sentença proferida pelo Juízo da 24ª Zona Eleitoral de Jacarezinho, que indeferiu o Requerimento de Registro de Candidatura de Valentina Helena de Andrade Toneti”. O documento tem data de terça-feira (03) e é assinado pela procuradora regional eleitoral Eloísa Helena Machado.

Em outras palavras, a manifestação do Ministério Público Federal é mais um revés judicial de Tina Toneti, que pode ter a candidatura, que já está indeferida pela Justiça Eleitoral, ser definitivamente barrada e, consequentemente, ficar de fora do pleito do próximo dia 15.

A Justiça Eleitoral já indeferiu a candidatura por Tina figurar como candidata ficha suja. No dia seguinte após o indeferimento, porém, a defesa da petista entrou com recurso para tentar manter a política no páreo.

Vale dizer que, como não há mais prazo para substituição de candidatos, o que pode ser feito até 20 dias antes das eleições pela coligação quando existe algum impedimento, neste momento a manutenção do indeferimento pode representar a ausência da chapa composta por PT e MDB na disputa pela prefeitura. A decisão final da justiça deve ser nos próximos dias.

INELEGIBILIDADE

Tina Toneti foi prefeita de Jacarezinho por dois mandatos entre 2005 a 2012. O problema que hoje pode representar o impedimento da petista em participar das eleições é referente à prestação de contas do exercício de 2008, quando o município gastou praticamente o dobro do permitido com propaganda institucional.

Posteriormente houve parecer do Tribunal do Contas do Paraná (TCE/PR) pela reprovação o balanço de 2008, o que foi ratificado pela câmara municipal de vereadores e, consequentemente, resultou na inelegibilidade de Tina.

A ex-prefeita ainda tentou anular o processo judicialmente, porém não teve sucesso, e a condenação segue constando no sistema da Justiça Eleitoral.

Deixe um Comentário