Eleições

Processos contra Tim são o diferencial na disputa entre irmãos

Em eleição atípica sete candidatos disputam a prefeitura do município de 24 mil habitantes

Em Piraí do Sul, sete candidatos disputam a prefeitura da cidade
CRÉDITO: MONTAGEM/DIVULGAÇÃO


Piraí do Sul

Agência Criativa – David Batista




Numa eleição atípica, Piraí do Sul, município de 24 mil habitantes, da região dos Campos Gerais, apresenta a rara disputa entre dois irmãos, ambos querendo ocupar a cadeira principal da cidade. Marcelo Milléo, foi prefeito duas vezes e, seu oponente familiar, Tim, ocupou o mesmo cargo por três mandatos.

Existem novos nomes, que nunca disputaram uma única eleição. A disputa entre irmãos  apresenta como tempero condimentado processos judiciais que, se julgados procedentes, podem mudar o resultado das urnas no município, como aconteceu em 2016, quando o prefeito eleito, Antônio El Achkar, o Toto, foi impedido de assumir o cargo.

Propondo renovar os rumos da administração local, concorrem à prefeitura o empresário Carlos Cesar Carneiro “Carlinhos CCC” (AVANTE), o vereador João Carlos da Silva (DC) “Carlinhos Tropeiro”, o contador Henrique de Oliveira Carneiro (DEM), e o engenheiro florestal e agrônomo Kleber Sampaio, além do também vereador Marcio Flavio da Silva “Marcio do Gás”, que ocupou a administração do município interinamente no início de 2017.

Em suas trajetórias políticas, Marcelo Milléo venceu as duas eleições que disputou para a prefeitura, enquanto Tim Milléo venceu três e perdeu duas. Marcio do Gás, por sua vez, teve apenas uma tentativa infrutífera para o executivo, em 2017, quando foi o terceiro colocado na eleição vencida pelo atual prefeito José Carlos Sandrini. 

Perfil dos candidatos

Carlinhos CCC é produtor rural e agropecuarista, tem pregado em sua campanha a necessidade do aumento das receitas municipais para que os investimentos possam ser feitos no município. “Somente através de uma política séria de fiscalização, que combata efetivamente a evasão de divisas, é que o município poderá iniciar a sua transformação” afirma CCC.

Carlinhos Tropeiro, vereador eleito em três oportunidades foi secretário municipal, diz ter adquirido a experiência necessária para comandar a cidade nos próximos quatro anos. Em seu plano de governo, o candidato promete implantar ideias inovadoras em todos os setores da administração pública, com atenção especial para as áreas da Saúde, Educação, Agricultura, Infraestrutura, Segurança, Cultura, Esportes e Lazer e Assistência Social.

Henrique é contador da prefeitura de Piraí do Sul desde 2006 e o mais novo dentre os que disputam a eleição. Com 33 anos, o contador tem utilizado uma estratégia de campanha que prega a libertação da velha política e a implantação de uma forma moderna de governar. Contra ele pesa a possibilidade de interferências na administração, por parte do ex-prefeito Antônio El Achkar, “Toto”, condenad o exatamente pela incorreta aplicação dos recursos públicos.

O engenheiro Kleber Sampaio está envolvido com atividades sociais há anos. Ele criou o ‘Projeto Exercita Piraí’, ação que incentiva a prática de atividades físicas de forma gratuita para a população. Além disso, foi dele a iniciativa de promover o Natal de 2019 na Praça José Avais. Presidente licenciado da Associação Comercial e Industrial de Piraí do Sul, a (ACIPS), o candidato prometeu recentemente pavimentar 18 quilômetros de vias do quadro urbano durante os quatro anos de sua gestão. Outro plano ousado de Kleber é a atração de 30 novas empresas, com estimativa individual de 20 empregos cada, o que totalizaria 600 novas vagas de trabalho em um curto espaço de tempo.

Marcelo Milléo, vencedor das duas eleições em que participou, retorna ao cenário político depois de quase 30 anos sem disputar eleição. Nesse período, ele sempre abriu mão de possíveis candidaturas, com chances reais de vitórias sobre seu irmão Tim Milléo, que governou a cidade por três vezes. 

Chateado com “a feiura e tristeza da cidade”, Marcelo volta à disputa eleitoral prometendo resgatar o cuidado com o município e a volta da entrega de grandes obras para a população.

Prometendo cuidar especialmente das estradas rurais, por onde escoa grande parte das receitas locais, o candidato promete iniciar a construção de uma nova cidade, a exemplo do que começou nas décadas de 80 e 90 e que acabou não tendo continuidade. Para isso, o candidato tem associado os seus compromissos de campanha com as obras que por ele foram entregues em suas duas gestões. 

A abertura dos loteamentos dos jardins Benevenuto Antunes Dalcol e Primavera, conjunto Victor Cioffi e Fidélis Maciel, por exemplo, além da construção do Ginásio de Esportes e Centro de Lazer Samuel Milléo, do Hospital Municipal Santo Antônio, de diversas escolas, postos de saúde, da prefeitura municipal e do início da construção da nova Rodoviária, Marcelo foi o responsável por boa parte do saneamento básico da cidade e ainda pela pavimentação de várias ruas e de todo o bairro da Ronda.  “Os eleitores, que podem contar com a expectativa de um novo modelo de gestão, associado a sua experiência administrativa para que a cidade volte a apresentar evolução significativa” afirma Marcelo.


UM APOSTO EM UM NOVO MODELO DE GESTÃO, E OUTRO NO INVESTIMENTO EM SAÚDE

Marcio do Gás, vereador eleito nos dois últimos mandatos, o candidato Marcio Flavio da Silva tenta chegar à prefeitura com o apoio da família da atual vice-prefeita Ludy Meri Raimundo, com quem travou disputa intensa nas eleições complementares de 2017, quando Marcio foi derrotado por José Carlos Sandrini e fechou a corrida eleitoral na terceira posição.
Em seu plano de governo, o candidato fala sobre a implementação de um novo modelo de gestão na administração municipal, marcado por projetos estruturantes em serviços críticos para a população, que busquem resultados altamente positivos nas diversas áreas de atuação do governo.
 
Segundo Marcio, no momento atual se observa que um dos maiores anseios da comunidade está voltado para os setores da saúde, geração de empregos e renda, infraestrutura e educação. Dessa forma, ele pretende ampliar os serviços no município e implantar outros, que juntos garantam à comunidade uma assistência digna e contínua, através das estratégias constantes do corpo de seu plano de ação. 

Valentim Milléo, o Tim, com o desgaste de duas derrotas nas duas últimas eleições municipais, o ex-prefeito chega em 2020 para a sua sexta disputa pela prefeitura, mais uma vez apostando em investimentos na área da saúde para se eleger, caminho que pode ser perigoso se repetido, já que o setor exigiu muitos recursos em suas gestões e isso acabou estrangulando os investimentos em outras áreas. 

Com muitas propostas em todos os setores, o plano de governo de Tim contempla basicamente tudo o que ele mesmo já prometeu em eleições passadas e ainda não realizou. O bom acesso às secretarias de governo pode contribuir para sua terceira gestão, em caso de vitória.

PROCESSOS JUDICIAIS

Contra Tim, pesa extensa lista de processos judicias e desde o ano de 2012 já respondeu diversas ações civis públicas e ainda hoje pelos dados da certidão do Tribunal de Justiça para fins eleitorais é réu em pelo menos 12 processos que apuram a existência de atos de improbidade administrativa durante a sua gestão.

O histórico judicial do candidato Tim, tem gerando insegurança aos eleitores que temem, tal como ocorreu em 2016 com o prefeito Antônio El Achkar (Toto), que o candidato tenha seu diploma cassado se for eleito. 

O principal motivo para isso é que Tim teve suas contas de 2005 reprovadas pelo Tribunal de Contas (conforme Acórdão nº 127/16) em decorrência de divergência no balanço financeiro municipal. A reprovação foi confirmada pela Câmara de Vereadores pelo Decreto Legislativo nº 001/2017, o que tornaria o candidato inelegível nos termos da legislação eleitoral. 

Não fosse uma liminar obtida em 29/09/2020 no Tribunal de Justiça do Paraná para suspender os efeitos do Decreto Legislativo nº 001/2017 da Câmara Municipal de Piraí do Sul até o final julgamento do recurso, o candidato poderia não conseguir concorrer às eleições (fonte – Recurso: 0056363-88.2020.8.16.0000).

Além desse processo, Tim Milléo ainda terá que se defender de muitas Segundo o Ministério Público, a empresa contratada não detinha nenhum direito de pesquisa e foi avalizada pelo então secretário de Municipal de Meio Ambiente Bruno Paese Fadel, filho do atual vice de Tim Milleo, que afirmou que a empresa possuía licenças necessárias para exploração de saibro. Tim Milleo então, mesmo com parecer jurídico contrário autorizou a contratação de referida empresa por inexigibilidade de licitação, o que conforme consta no processo causou um prejuízo de R$ 508.767,43 ao erário público.

Também responde por irregularidades na contratação de serviços de saúde onde servidores municipais que já trabalhavam no hospital teriam recebido duas vezes pelo mesmo serviço, causando um prejuízo de R$ 1.846.658,34 de dano ao erário público, gerando até o bloqueio de bens de Tim (processo nº 0000650-82.2018.8.16.0135). 

Tim já foi condenado (sem suspensão dos direitos políticos) por contratação de transporte público de passageiros sem contrato administrativo (0001142-55.2010.8.16.0135), contratação da única rádio da cidade sem licitação pertencente a sua família (0000426-57.2012.8.16.0135).

Deixe um Comentário