Eleições 2020 Siqueira Campos

Campanha em Siqueira Campos vira festival de agressões morais

Ao invés de ocuparem espaço para propostas, parte dos candidatos usam o rádio e a internet para ataques

Candidatos a prefeito de Siqueira Campos têm transformado campanha é ringue com agressões mútuas
(foto: candidatos prefeito siqueira)

CRÉDITO: MONTAGEM/DIVULGAÇÃO

Da Redação


O cenário político em Siqueira Campos está cada dia mais decadente, alguns políticos desistiram de apresentar suas propostas e passaram a atacar os adversários e até mesmo os eleitores, principalmente nas redes sociais.

Dos seis candidatos que estão disputando a cadeira máxima do Executivo, quatro estão na disputa eleitoral há muito tempo, porém nenhum deles chegou a ser prefeito, no máximo vice, caso de Luiz Henrique Germano.

De acordo com manifestações de eleitores enviadas à Tribuna do Vale, os siqueirenses se deparam mais com provocações, discussões e ataques a outros candidatos, do que com propostas.

Aloísio Torres Guerra, candidato do PT, e Germano, que concorre pelo PDT, de companheiros do passado, passaram a adversários políticos ferrenhos, com agressões de todo tipo.

O candidato a prefeito petista e o pedetista, que é vice-prefeito da cidade e também candidato a prefeito, estão se digladiando com ofensas e áudios de campanhas passadas que circulam nas redes sociais.

Durante um debate ocorrido no dia 22 de outubro em que Germano não compareceu, Aloísio chamou o pedetista de covarde, e que não serviria nem para “inspetor de quarteirão”.

É uma corrida eleitoral atípica, em que Aloísio, que era companheiro político de Germano, agora em inimigo. Outra situação não menos desgastante é que Paulão que em outra eleição foi adversário declarado de Germano, agora é candidato a vice ao lado do ex-adversário.

Antes parceiros agora o discurso é de ódio, com provocações que chocam a comunidade. Em um vídeo publicado no dia 25 de outubro em sua página no Facebook, Germano diz que o candidato do PT (se referindo a Aloísio) está espalhando áudio de 2008, tentando enganar a população siqueirense. 

No último dia 2, Finados, uma espécie despacho com duas velas, uma garrafa com líquido incolor (representando pinga ou água) e uma cruz com os nomes de Bí e Germano e escrito “A administração que levou Siqueira Campos ao fundo do poço”, foi encontrado no cruzamento entre a Rua Benjamin Constant e Rio Grande do Sul. Até o momento ninguém sabe o autor do “despacho” feito de forma irônica. A filha de Germano, se manifestou nas redes sociais caracterizando o ato como “culto negativo”.

BANANA

Impugnado pela Justiça Eleitoral até o momento, o candidato a prefeito Efraim Bueno (MDB) também parece ter deixado de lado suas propostas de governo e focou nos adversários políticos, passando a persegui-los através de vídeos, provocações e insinuações.

Efraim não está com sua situação em dia com a Justiça Eleitoral, o Ministério Público Eleitoral (MPE), de Siqueira Campos, através do promotor de justiça Bruno Fernandes Ferreira, apresentou no mês passado ação de impugnação do registro da candidatura, sob alegação de que Efraim é inelegível por condenação transitada em julgado por irregularidade administrativa quando foi prefeito de Quatiguá, em 2012.

Efraim participou do debate do dia 22, onde chamou o candidato Germano de “fujão” e “banana”, bem como fez questão de falar sobre a influencia de Germano ao favorecer o próprio filho para realização de show no Balneário da Alemoa, em que o rapaz recebeu quase R$ 8 mil.

Deixe um Comentário