Eleições Joaquim Távora

Cláudio Revelino sai na frente em primeira pesquisa registrada no TSE

Candidato do DEM supera Reginaldo Vilela em todas as simulações da pesquisa da Alvorada


Claudio Revelino lidera pesquisa Alvorada em Joaquim Távora com 54,90% da preferência
CRÉDITO: ANTÔNIO DE PICOLLI

Da Redação




A primeira pesquisa realizada pela Alvorada Pesquisas de Londrina e registrada na Justiça Eleitoral aferindo as intenções de voto em Joaquim Távora, aponta vantagem para o ex-prefeito Claudio Revelino (DEM), que concorre às eleições deste ano com Reginaldo Vilela (Podemos).  No quesito votos válidos, quando são descontados votos brancos, nulos e indecisos, Revelino é apontado 54,90% das indicações, contra 45,10% de Vilela.

Na sondagem estimulada, em que o pesquisador apresenta lista com os nomes concorrentes, Revelino é indicado por 42,70% dos entrevistados, enquanto Vilela é apontado por 35% dos eleitores. Indecisos somam 11%, brancos 1%, nulos 1% e não votará, 9,3%.

A avaliação da rejeição, quando os entrevistados são questionados em quem dos candidatos não votariam de jeito nenhum, Vilela é rejeitado por 38,7% dos eleitores pesquisados, enquanto que Cláudio Revelino obtém rejeição de 30%. 13% não apontaram nenhum dos dois, enquanto que 18% disseram não saber.

Outro dado obtido na pesquisa é que 81,30% dos eleitores entrevistados admitem que não mudarão o voto, enquanto que 9,7% disseram que poderão mudar de candidato e, 9% não souberam responder.
 
A pesquisa realizada pela Alvorada Pesquisas/WJ Mendes Pesquisas Eireli no município de Joaquim Távora, aconteceu no dia 26/10/2020 e registrada no Tribunal Regional Eleitoral PR/TSE com o número PR-03915/2020. 
Foram entrevistados 300 eleitores. A margem de erro estimada é de 5,6% para mais ou para menos, e intervalo de confiança de 95%. 


Vilela tentou impugnar pesquisa


Reginaldo Vilela tem 45.10% da preferência dos entrevistados em Joaquim Távora
CRÉDITO: ANTÔNIO DE PICOLLI

Reginaldo Vilela, candidato a prefeito de Joaquim Távora, pela coligação “União, trabalho e compromisso com Joaquim Távora” tentou impedir a divulgação da pesquisa realizada pela Alvorada, de Londrina, ingressando com uma representação na Justiça Eleitoral, alegando irregularidades nos procedimentos de registro e metodologia de dados. 

Vilela alegou que a empresa constou no registro da pesquisa no sistema PesqEle do TSE que a sondagem seria realizada pelo percentual de população economicamente ativa (PEA) e população não economicamente ativa (PNEA); porém, no questionário a ser submetido aos entrevistados, houve a adoção de dois critérios, quais sejam, PEA e não PEA e faixas de renda.

O impugnante apontou, ainda, a suposta ausência de delimitação do sistema interno de verificação e controle; a metodologia empregada seria falha, em virtude da ausência de delimitação da área física da amostragem; e, ausência de assinatura com certificação digital do estatístico responsável.  


Por conta disso o candidato requereu, concessão de liminar, com a suspensão da divulgação da pesquisa realizada pela Alvorada pesquisas, a qual foi protocolada sob n° PR-03915/2020. No mérito, requereu que a representada seja proibida de divulgar a pesquisa. 

A liminar foi indeferida, inclusive com parecer contrário do Ministério Público manifestou-se pela improcedência da representação.  

A juíza eleitoral Daniela Fernandes de Oliveira contrariou todas as teses defendidas por Reginaldo Vilela, que, com sua representação, tentou impedir que a população de seu município tomasse conhecimento dos dados do levantamento realizado pela Alvorada.
 

Deixe um Comentário