Saúde

Assim como nas mulheres, animais também podem ter câncer de mama

Campanha de prevenção e conscientização ressalta a importância do diagnóstico precoce


Rodrigo Dalio aponta que a maior incidência é em fêmea
CRÉDITO: Jullia Pinheiro

Equipe Outubro Rosa Pet


Assim como nas mulheres, o câncer de mama é um dos tipos de neoplasia mais frequentes em cães e gatos. A maior incidência da doença é em fêmeas adultas. Condição clínica, idade, qualidade de vida, e agressividade dos tumores são alguns dos fatores que devem ser levados em conta no enfrentamento ao câncer de mama.

O médico veterinário, Rodrigo Dalio, explica que a doença atinge cada animal de forma diferente, e que, portanto, o tratamento deve ser definido individualmente. “A incidência da neoplasia mamária em cadelas é extremamente alta. É o tumor mais frequente nas fêmeas. Nas gatas a incidência é menor. Mas o comportamento biológico das lesões nas mamas das gatas é muito mais agressivo do que nas cadelas. Apesar dessa menor incidência nas gatas, a doença é extremamente preocupante”, explica o médico.


Talita Melo ressalta a importância do diagnóstico precoce
CRÉDITO: Dayse Miranda

Dalio ainda detalha que ainda há muito trabalho para ser feito nesse sentido de conscientização dos tutores. Ele que atua na área de clínica e cirúrgica há dez anos e nota que aos poucos isso tem mudado. “Hoje os proprietários têm mais consciência da importância de procurar o médico veterinário, de que tem de ser precoce o diagnóstico. Mas temos muito trabalho para ser feito ainda”, destaca.

Os processos neoplásicos são mais frequentes nos pacientes mais idosos. Pouco frequentes em animais jovens. A partir de seis ou sete anos de idade aumenta a incidência. “A carcinogênese das neoplasias mamárias está muito relacionada com a parte hormonal. Isso é muito semelhante ao que a gente vê na mulher. Existe uma relação hormonal que leva os animais a desenvolver os tumores de mama. Mas o câncer é uma doença multifatorial”, detalha.

PREVENÇÃO – O veterinário explica que a castração está relacionada com a prevenção, porém só é eficaz quando o procedimento é feito precocemente. “Entre o primeiro e o segundo cio é o que a gente preconiza como idade ideal para a castração quando se pensa em prevenção”.

COMO IDENTIFICAR – A mama da cadela e da gata é muito exposta visualmente, e o proprietário pode enxergar e também apalpar com facilidade. A orientação aos proprietários é terem o hábito de passar a mão nas cadeias mamárias para ver se tem alguma alteração, algum crescimento anormal. Feito isso, o proprietário tem de procurar o médico veterinário de confiança dele, e o médico veterinário vai fazer a avaliação clínica do nódulo.

DIAGNÓSTICO – A médica veterinária, Talita Melo, ressalta a importância do diagnóstico precoce, que é uma das dúvidas muito comuns nos tutores. Segundo ela, os métodos de diagnóstico começam na avaliação clínica, onde pode ser notado o aumento de volume nas mamas. “Na clínica, um dos exames indicados é a citologia, onde é coletado células por meio da aspiração por agulha fina, no intuito de identificar quais os tipos de células que possuem naquele local. Se caso o exame for inconclusivo, aí deve ser realizada a histologia. Coletamos o material com margem cirúrgica e enviamos para análise, nesse confirma o resultado da citologia ou conclui quais os tipos de células presentes”.

PROGNÓSTICO – O prognóstico depende muito do tipo de células que encontradas nos exames, se já possui ou não metástase. “Tem animais que conseguimos ofertar uma boa qualidade de vida ao animal, mas se o diagnóstico for tardio, a expectativa de sobrevida diminui. Por isso, quando diagnosticado precocemente melhor é para vida e bem-estar do animal”, esclarece a médica.

REVISTA – As acadêmicas do 4º módulo de Medicina Veterinária do Centro Universitário das Faculdades Integradas de Ourinhos (Unifio), Dayse Miranda, Ana Carolina Farias e Jullia Pinheiro, produziram uma revista digital como material informativo para a população sobre a Campanha de Prevenção e Conscientização ao Câncer de Mama em cadelas e gatas. Confira na íntegra através do link: https://issuu.com/daysemiranda/docs/revista_outubro_rosa_pet

Deixe um Comentário