Agronegócios

Integrada: nenhuma nuvem no céu

Imprensa Integrada


Os meteorologistas apontam para o final deste ano um forte esfriamento das águas do Oceano Pacífico. O fenômeno, denominado La Niña, já tem influenciado o clima no Hemisfério Sul, mais precisamente as regiões produtoras de grãos do Brasil e Argentina, que resulta em chuvas mais espaçadas durante a semeadura da soja.

O tema foi o assunto principal da última transmissão online (Live) do consultor da MBAgro, Alexandre Mendonça de Barros, que ocorreu no dia 22 de outubro. Mediado pelo superintendente da área comercial, João Bosco de Souza Azevedo, Barros apontou a situação do clima, do mercado atual e da safra de soja.

A América do Sul está no centro do debate mundial, pois o cenário climático está confuso”, alerta o consultor. Dados meteorológicos apontam que o La Niña terá influência até março de 2021. As chuvas tardias no cerrado brasileiro e no sul do Brasil exemplificam bem essa instabilidade, na opinião do consultor.

Para o mercado de grãos, a situação requer uma certa atenção. Barros afirma que o rebanho suíno chinês, maior parceiro comercial do Brasil, está se recuperando. Isso pede uma maior quantidade de farelo de soja. “Além disso, na medida que o nosso Produto Interno Bruto (PIB) voltar a crescer, veremos uma demanda adicional por carne, o que exigirá ainda mais farelo de soja e milho.

Conta apertada
A conta está apertada para o Brasil. O aumento das exportações, principalmente pela China, poderá fazer o Brasil ter que comprar soja para dar conta da demanda dos mercados. Só neste ano, de janeiro a dezembro, o País deverá exportar 88 milhões de toneladas de soja. Em 2019, foram exportados 78.858 milhões de toneladas.

Para uma safra de 126 milhões de toneladas (2019/20) restam 38 milhões de toneladas, mas a demanda interna, calcula Barros, é de 40 milhões de toneladas. Somado ao cenário climático preocupante para a safra 2020/21, a bolsa de Chicago tem registrado alta no valor das commodities em dólar. O cenário de alta nos preços no Brasil também não é diferente. Mas Alexandre segue otimista com relação à próxima safra. Mesmo com as incertezas do clima, o volume estimado em 133 milhões de toneladas ainda se sustenta.

Apresentação completa- Confira a apresentação completa no canal do Youtube da Integrada:
https://youtu.be/gw53MtXLgHM. (Imprensa Integrada)

Deixe um Comentário