Eleições Jacarezinho

Chapa decide nesta semana mantém ou substitui Tina Toneti

Com candidatura negada, coligação tem risco de ter os votos zerados se não optar por mudança de candidato; há pressão interna para substituição

Da Redação


A coligação “Jacarezinho Feliz de Novo”, composta por PT e MDB, tem até este fim de semana, quando faltarão 20 dias para as eleições municipais, para decidir se mantém Tina Toneti (PT) na disputa à prefeitura de Jacarezinho ou se opta pela substituição, já que a ex-prefeita teve o pedido do registro de candidatura negado pela Justiça Eleitoral.

Caso a definição seja pela insistência na tentativa de candidatura de Tina Toneti, existe o risco de que todos os votos recebidos pela coligação não sejam levados em consideração pela Justiça Eleitoral – exatamente pela negativa no pedido do registro de candidatura da petista.

É o que aconteceu, por exemplo, com Efraim Bueno de Moraes, em Quatiguá, nas eleições de 2016. O ex-prefeito foi o candidato mais votado, mas a Justiça Eleitoral não computou os votos destinados a ele.

Efraim seria o vencedor, porém não assumiu o cargo pela restrição, que também era causada pela inelegibilidade por problemas jurídicos consequentes de suas gestões municipais. No ano seguinte, em 2017, a Justiça Eleitoral convocou eleições suplementares em Quatiguá.

PRESSÃO INTERNA
Segundo duas fontes ligadas ao PT de Jacarezinho, há uma forte pressão interna para que Tina abra mão da candidatura e seja substituída pelo candidato a vice, Nelson Paulino (PT). Essa decisão deverá ser rápida, já que depois desta data a chapa não poderá mudar seus componentes e estará exclusivamente nas mãos da Justiça Eleitoral.

IMPUGNAÇÃO
Tina Toneti, prefeita de Jacarezinho por dois mandatos consecutivos entre 2005 a 2012, pode ficar fora da disputa de 2020 após ter o pedido do registro de candidatura negado em sentença assinada pelo juiz da 24ª Zona Eleitoral, Roberto Arthur David, e publicada na terça-feira (20).

O pedido de impugnação da candidatura de Tina Toneti partiu do Ministério Público Eleitoral (MPE) e também de outra coligação que disputa as eleições majoritárias. O argumento principal para o questionamento é a inelegibilidade da ex-prefeita apontada pela própria Justiça Eleitoral – causada pela reprovação das contas referentes ao exercício 2008, último ano do primeiro mandato da petista como prefeita de Jacarezinho.
À época a prefeitura de Jacarezinho gastou praticamente o dobro em publicidade institucional no comparativo à média dos outros três anos de seu mandato – o que é proibido por lei para inibir a promoção política de gestores com recursos públicos.

Mediante os gastos excessivos em ano eleitoral, os conselheiros do Tribunal de Contas do Paraná (TCE/PR) emitiram parecer pela reprovação do balanço de 2008 da prefeitura de Jacarezinho, o que foi ratificado posteriormente pela Câmara de Vereadores. Como consequência Tina Toneti passou a ser enquadrada pela lei da Ficha Limpa.

Na tarde de quarta-feira (21) a defesa de Tina Toneti entrou com recurso para rever a decisão da justiça e tentar manter a petista na disputa eleitoral.

Deixe um Comentário