Fake News

Delegado alerta população sobre golpes virtuais durante pandemia

Principais crimes estão relacionados com golpes pelo WhatsApp, perfis falsos nas redes sociais, golpe do leilão, clonagem de cartão de crédito e golpe do motoboy

Delegado Rafael Guimarães aponta que a internet se tornou um terreno fértil para aplicação de golpes durante a pandemia
FOTO: DELEGADO CRÉDITO: TONHO

Dayse Miranda, especial para Tribuna do Vale


O delegado titular da 38º Delegacia de Polícia de Santo Antônio da Platina, Rafael Pereira Gabardo Guimarães, faz um alerta para a população sobre os golpes virtuais praticados durante o período de pandemia do coronavírus. Entre os crimes mais praticados estão: golpes pelo WhatsApp, perfis falsos nas redes sociais, golpe do leilão, clonagem de cartão de crédito e golpe do motoboy. Como as pessoas estão mais reclusas em virtude do isolamento social, aumentando o acesso aos conteúdos virtuais, a internet se tornou um terreno fértil para aplicação de golpes. Outro crime que tem sido assiduamente registrado pela unidade, é o saque ou requerimento indevido do auxílio emergencial.

Guimarães orienta para nunca passar senhas ou dados de cartão por telefone, desconfiar de perfis falsos, não acessar links duvidosos ou propagandas com ofertas vantajosas, não fazer empréstimos e não enviar fotos para perfis que não conheça. “Em negociações via internet é preciso ter cautela, verificar com quem está negociando e de preferência ver o produto/mercadoria presencial”, alertou.

Sobre as fraudes no auxílio emergencial, o delegado esclarece que a Polícia Federal é que tem competência para investigação. Desta forma, ele orienta as vítimas que procurem por uma unidade da Caixa Econômica Federal mais próxima para reportar o golpe e posteriormente denunciar à Polícia Federal, se possível. “Todos os dias temos casos de pessoas que foram vítimas de saque ou requerimento indevido do auxílio emergencial”, lamentou.

Para alertar e aproximar a população das ações preventivas e desenvolvidas pela 38ª DP, foram criados perfis no Facebook (38ª Delegacia Regional de Polícia de Santo Antônio da Platina) e Instagram (DP Santo Antônio da Platina). Lá a população tem acesso à várias orientações, bem como, conferir o trabalho desenvolvido pela equipe.  

WHATSAPP CLONADO – Neste golpe, os criminosos conseguem ativar, em outros aparelhos de celular, a conta de whatsapp da vítima, que para de funcionar. Por meio dessa ativação, os criminosos conseguem recuperar as conversas existentes no histórico do aplicativo whatsapp.

Para aplicar o golpe, os golpistas se utilizam de sites de compra e venda de produtos na internet, como OLX e Mercado Livre, por exemplo. Ao terem acesso ao anúncio, e os números de telefones das vítimas, os autores se passam por funcionários desses sites e se passam por funcionários desses sites e solicitam um código para ativar o anúncio. Na verdade, esse código é uma verificação do WhatsApp dele.

Sendo assim, o código de verificação para habilitar o WhatsApp foi para o celular da vítima. Assim que ele digitar os seis números do código, que a vítima forneceu, ele instala a conta do WhatsApp da vítima no WhatsApp dele, e a vítima perde o acesso ao aplicativo. Com a clonagem efetuada, os criminosos acessam os contatos da vítima para cometer o crime de estelionato, solicitando dinheiro a parentes e amigos da pessoa. 

Com isso, fica o alerta para que não repasse nenhuma informação antes de verificar de fato se a mensagem ou a ligação é confiável.

GOLPE DO LEILÃO – No golpe do falso leilão, os criminosos se utilizam de falsos sites na internet para atrair as vítimas, que procuram fazer bons negócios com arremate de veículos muito abaixo do valor de mercado.

Além de ofertas tentadoras, os golpistas chegam a replicar a identidade visual de alguns sites de boa reputação. Acreditando se tratar de algo legítimo e idôneo, a vítima acaba realizando cadastro no site falso, fornecendo dados pessoais e telefone de contato.

Logo após o cadastro, a vítima recebe via WhatsApp uma mensagem solicitando o envio dos seus documentos pessoais. Feito o lance no produto desejado, a pessoa recebe outra mensagem informando que o lance dado foi o vencedor. A partir daí os criminosos pedem para que a pessoa deposite o montante numa conta bancária de um suposto representante financeiro do leilão.

Os problemas surgem quando a pessoa passa a procurar pelo veículo, que sequer nunca existiu. Após enganar a vítima, os falsos leiloeiros bloqueiam o contato do WhatsApp e mudam o nome e celular. Desta forma, a vítima fica sem o carro e com o prejuízo financeiro. Desta forma, orienta-se para que nunca entre em sites duvidosos. A Associação de Leiloaria Oficial do Brasil possui uma espécie de lista negra de sites não credenciados, que vale a pena conferir antes de arrematar um produto.  

GOLPE DO MOTOBOY – Esse golpe inicia com uma ligação de criminosos para a vítima solicitando confirmação de dados em virtude de movimentações suspeitas em conta corrente ou cartão de crédito. Em seguida pedem para que a vítima ligue para os números de telefones disponíveis no verso do cartão.

Neste momento, a chamada é desviada para uma central falsa, que solicita a digitação das senhas e o corte dos cartões ao meio. Para concluir o golpe, a central falsa oferece o serviço de motoboy para pegar os cartões na casa da vítima.

Porém, bancos não pedem senhas em ligações ou links (enviados por SMS ou WhatsApp).

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo