Unidade do Hospital do Câncer será instalada em 180 dias após a pandemia

1ª fase das instalações será voltada para prevenção e diagnóstico precoce de câncer


LEGENDA: imóvel, que atualmente está desativado, foi concluído em 2017, e nunca foi utilizado
FOTO: UPA CRÉDITO: Antônio de Picolli

SANTO ANTÔNIO DA PLATINA

Dayse Miranda, especial para Tribuna do Vale


A previsão de funcionamento da unidade de oncologia do Hospital do Câncer de Londrina (HCL), em Santo Antônio da Platina ainda segue sem data definida. Segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde, o prazo estimado é de 180 dias após o encerramento da pandemia de Covid-19. O foco principal da primeira fase das instalações requer prevenção e diagnóstico precoce da doença – proporcionando aos pacientes do Norte Pioneiro mais conforto por ser uma unidade mais próxima e com isso, gerar economia aos municípios da região.

O imóvel, que atualmente está desativado, foi concluído em 2017, e nunca foi utilizado. Toda parte burocrática já legalizada, tanto pelo Ministério da Saúde para mudança de finalidade do prédio, quanto a doação do terreno para o HCL. A única questão pontual que ainda está pendente é a aprovação da seção de uso do prédio – que deve passar por votação em plenário nos próximos meses.

O empresário e colaborador do HCL, Guerino Zanetti, que participou das negociações, justifica que a unidade só não pôde iniciar as instalações porque grande parte do Conselho Gestor está em home office (trabalhando em casa) devido à pandemia de Covid-19. Além disso, a unidade de Londrina está atuando com quadro reduzido, e desta forma, somente após a pandemia para se falar em retomada das instalações.

Zanetti aponta que os tipos de câncer que mais matam (de mama, útero e próstata) são também os mais curáveis – se diagnosticados com antecedência. “Por isso, a Unidade de Santo Antônio da Platina tem por objetivo de fazer o trabalho de prevenção e diagnóstico. Caso a pessoa seja diagnosticada na unidade, ela já vai ser direcionada para o tratamento mais adequado na própria unidade”, detalhou.

Um dos pedidos que Zanetti protocolou para a primeira fase na unidade de oncologia de Santo Antônio foi a vinda de uma farmácia específica para pacientes do HCL, visto que o tratamento é de longo prazo quando diagnosticados com a doença. “Com a farmácia instalada na região, também facilitará o tratamento. Senão os pacientes terão que deslocar para os grandes centros para buscar a medicação necessária”, reiterou.

Em Londrina, o HC atende 165 municípios do Paraná, como referência, soma cerca de 48 mil pacientes. Santo Antônio da Platina está em um local estratégico e com parceria dos municípios facilitará o atendimento na região.

FOTO: UPA

CRÉDITO: Antônio de Picolli

LEGENDA: imóvel, que atualmente está desativado, foi concluído em 2017, e nunca foi utilizado