UENP emite nota sobre curso de Medicina, mas não convence

Universidade tenta reduzir impacto negativo da escolha do Campus de Cornélio para sediar curso de Medicina

Da Redação com Assessoria


Governadora Cida Borghetti anunciou o curso de Medicina para o campus de Cornélio Procópio
CRÉDITO: Antônio de Picolli

A Assessoria de Comunicação Social da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) encaminhou na manhã desta quinta-feira (22), uma nota oficial da direção da instituição em que tenta explicar as razões pelas quais escolheu o campus de Cornélio Procópio para sediar o curso de Medicina, criado recentemente pela governadora Cida Borghetti. No entanto, apesar do texto ufanista de valorização do Norte Pioneiro, quase nada foi explicado para justificar porque o campus de Jacarezinho foi preterido.

Desde que a criação do curso foi autorizada, no início de julho, a polêmica vem crescendo. Na oportunidade, a iniciativa foi classificada como estelionato eleitoral, já que o Paraná iniciava campanha para o governo do Estado. O decreto só não foi assinado antes do pleito porque o prefeito de Ribeirão Claro, Mário Augusto Pereira (PSC) emitiu nota oficial ameaçando buscar a Justiça Eleitoral caso isso viesse a ocorre durante a campanha.

Na nota encaminhada à imprensa, a direção da UENP diz que a instituição é “comprometida com qualidade de vida das pessoas, com o bem comum e com o desenvolvimento de sua região de abrangência”, assinalando que a universidade “construiu conjuntamente com profissionais da área de saúde da região (médicos e agentes públicos) um projeto de curso de Medicina que trouxe como diretriz a regionalização, para que pudesse estar presente em todo o Norte Pioneiro do Paraná, levando a medicina a quem mais precisa”. Dessa forma, continua o texto, “os atendimentos do curso acontecerão em Cornélio Procópio, Bandeirantes, Jacarezinho, Santo Antônio da Platina e São Jerônimo da Serra”.

A direção da universidade justifica que a escolha de Cornélio Procópio se deu porque “o curso de Medicina, diferente da maioria dos cursos de graduação, exige requisitos mínimos para sua implantação. A escolha de Cornélio Procópio para sediar o curso levou em conta aspectos estritamente técnicos que não poderiam ser viabilizados, atualmente, por outro município do Norte Pioneiro. Assim, levou-se em conta números suficientes de estabelecimentos de saúde; de médicos em diversas especialidades; e de atendimentos, a chamada casuística para que os alunos possam observar e praticar”.

A nota complementa assinalando que “a análise rigorosa desse e de outros dados destacados no projeto do curso confirmam que Cornélio Procópio possui a melhor condição instalada com Campus da UENP para receber o curso de Medicina”.

“Após análises, os Conselhos Superiores da UENP, formados por professores, agentes universitários e estudantes, ratificaram a decisão de instalação do curso no Campus de Cornélio Procópio, com atendimento descentralizado em outras cidades, com base em critérios técnicos e na viabilidade e sustentabilidade da graduação, bem como no compromisso com a qualidade de formação dos estudantes”.

Discrepâncias

O que a nota não cita, por exemplo, é que na área do campus de Jacarezinho existe um hospital regional pronto, enquanto que a unidade de Cornélio Procópio está com suas obras paralisadas há muito tempo. Não observa, por exemplo, que em Santo Antônio da Platina há toda uma estrutura montada e na mesma cidade está o hospital.

Leve-se em consideração que o campus de Jacarezinho já possui o Centro de Ciências da Saúde já consolidado, com 99 professores nas áreas de Anatomia, Fisiologia, Microbiologia, Histologia e Genética, não necessitando contratar mais profissionais nessas áreas.

Os coordenadores do movimento pela instalação do curso de Medicina no Campus de Jacarezinho ilustram a campanha com dados assustadores, obtidos dentro da própria universidade. O curso de Odontologia, por exemplo, sofre enormes carências e a UENP investe somas milionárias em um novo projeto.

Segundo o empresário Marcelo Palhares, um dos coordenadores do movimento, se a universidade tivesse efetivamente seu foco voltado ao desenvolvimento regional, deveria ter priorizado a região de Jacarezinho, onde se concentra um dos maiores índices de carência do Estado, principalmente na área de saúde. “Somos exportadores de doentes. É uma desumanidade o que se faz com as camadas mais carentes da população”, diz revoltado.

“Isso explica que, se depender do governador eleito, Ratinho Junior, Medicina será instalada em Jacarezinho, pois ele tem consciência de que esta é a real prioridade em termos de políticas públicas”, conclui.

Veja a íntegra da nota enviada pela UENP  

Nota de esclarecimento

Curso de Medicina

Da Assessoria

A Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), criada há 12 anos, vem atuando com seriedade, excelência e protagonismo na promoção da ciência e do conhecimento por meio de seus cursos de graduação e pós-graduação. O curso de Medicina da UENP vem somar às ações já realizadas pela Universidade no sentido de buscar propiciar ao Norte Pioneiro um próspero momento para sua história.

Comprometida com qualidade de vida das pessoas, com o bem comum e com o desenvolvimento de sua região de abrangência, a UENP construiu conjuntamente com profissionais da área de saúde da região (médicos e agentes públicos) um projeto de curso de Medicina que trouxe como diretriz a regionalização, para que pudesse estar presente em todo o Norte Pioneiro do Paraná, levando a medicina a quem mais precisa. Dessa forma, os atendimentos do curso acontecerão em Cornélio Procópio, Bandeirantes, Jacarezinho, Santo Antônio da Platina e São Jerônimo da Serra.

O curso de Medicina, diferente da maioria dos cursos de graduação, exige requisitos mínimos para sua implantação. A escolha de Cornélio Procópio para sediar o curso levou em conta aspectos estritamente técnicos que não poderiam ser viabilizados, atualmente, por outro município do Norte Pioneiro. Dessa forma, levou-se em conta números suficientes de estabelecimentos de saúde; de médicos em diversas especialidades; e de atendimentos, a chamada casuística para que os alunos possam observar e praticar.

A análise rigorosa desse e de outros dados destacados no projeto do curso confirmam Cornélio Procópio possuir a melhor condição instalada com Campus da UENP para receber o curso de Medicina. Após análises, os Conselhos Superiores da UENP, formado por professores, agentes universitários e estudantes, ratificaram a decisão de instalação do curso no Campus de Cornélio Procópio, com atendimento descentralizado em outras cidades, com base em critérios técnicos e na viabilidade e sustentabilidade da graduação, bem como no compromisso com a qualidade de formação dos estudantes.

A UENP, que conta com o apoio dos Gestores Públicos e da Sociedade Civil organizada do Norte Pioneiro, continuará trabalhando para cumprir sua missão de atuar no processo de desenvolvimento regional e do Estado do Paraná, participando ativamente do trabalho de construção integral da sociedade e de seus cidadãos, buscando sempre a melhoria da qualidade de vida, promovendo a democracia, a cidadania e o desenvolvimento socioeconômico, pela valorização e socialização do conhecimento e do saber historicamente construído e constituído.