Região quer acesso à pesquisa que justifica escolha de Cornélio

Para líderes do movimento “#medicinaenossa” que exige escolha de campus de Jacarezinho, escolha foi política

Da Redação


Se a intenção da direção da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) era acalmar os ânimos sobre a escolha do campus de Cornélio Procópio pra sediar o curso de Medicina, o tiro saiu pela culatra. A nota oficial divulgada na manhã de ontem (22) diz que a escolha obedeceu a critérios absolutamente técnicos, entre os quais a estrutura do setor de saúde da sede da Amunop (Associação dos Municípios do Norte do Paraná) não teria equiparativo dos demais campi da instituição.  

“Gostaríamos de saber como ter acesso a estes estudos ditos estritamente técnicos, que diz demonstrar que só Cornélio dispõe dos requisitos mínimos para sediar o curso, bem como aos estudos estritamente técnicos que, segundo a própria UENP, não poderiam ser viabilizados, atualmente, por outro município do Norte Pioneiro”, questiona um texto postado num grupo do aplicativo do wattzapp com integrantes de toda região.

“Também gostaríamos de saber como ter as informações dos dados coletados, que segundo diz a UENP, foi levado em conta números suficientes de estabelecimentos de saúde; de médicos em diversas especialidades; e de atendimentos, a chamada ‘casuística’ para que os alunos possam observar e praticar”, continua o mesmo texto.

A postagem cita também que, segundo a UENP, foi feita uma análise rigorosa desse e de outros dados destacados no projeto do curso que confirmariam Cornélio Procópio possuir a melhor condição instalada para receber o curso de Medicina. “Gostaríamos também de ter acesso a esses estudos e análises, dos Conselhos Superiores da UENP, formado por professores, agentes universitários e estudantes, que segundo a instituição ratificaram a decisão de instalação do curso no Campus de Cornélio Procópio”.

Segundo a mesma postagem, a UENP afirma que conta com o apoio dos Gestores Públicos e da Sociedade Civil organizada do Norte Pioneiro.

“Sendo assim, gostaríamos que fossem divulgados amplamente esses estudos, para que a população e a sociedade civil organizada da nossa região do Norte Pioneiro, haja vista, que não tivemos nenhuma informação, comunicação ou muito menos participação nesta decisão, mesmo sendo a Reitoria da UENP sediada em Jacarezinho, possa ter acesso aos documentos e estudos, com total transparência para verificar os motivos desta escolha”.

Questionamento

Outra postagem no grupo lembra que “no último dia permitido por lei para atos públicos de candidatos que concorrerão nas eleições de outubro, a governadora Cida Borghetti (PP) assinou autorização para a realização de estudos para a implantação de curso de medicina na Uenp (Universidade Estadual do Norte do Paraná), no campus de Cornélio Procópio (Norte Novo). O secretário estadual de Desenvolvimento Urbano, Silvio Barros (PP), também pré-candidato, participou da solenidade, junto com autoridades, como deputados e prefeitos do Norte Pioneiro. Estritamente técnico, ou estritamente técnico político?”.