Política

Recalcatti questiona contratos da JMK com oficinas mecânicas

Empresa estaria atrasando pagamentos para terceirizadas que executam os serviços na frota de 15,5 mil veículos do governo estadual

Por: DELEGADO RECALCATT


O deputado Delegado Recalcatti (PSD) está questionando o governo do Estado sobre o contrato mantido com a empresa JMK Serviços S/A que, desde 2015, gerencia a manutenção mecânica de uma frota de mais 15,5 mil veículos de diversos órgãos públicos estaduais. No pedido de informações, Recalcatti solicita dados sobre as relações da JMK com as oficinas mecânicas contratadas para a execução dos serviços.

“Esta empresa há muito tempo vem negligenciando o contrato firmado com o Estado, ora por não ofertar a qualidade no serviço a que se presta, ora por não efetuar o pagamento às oficinas terceirizadas”, afirmou o deputado, em pronunciamento no plenário da Assembleia nesta semana. Segundo ele, há dezenas de denúncias de diversos setores, especialmente, das Secretarias de Saúde e de Segurança Pública.

Dirigido ao secretário de Administração e da Previdência, Fernando Ghignone, o requerimento contém quatro questionamentos: se há atrasos nos repasses do governo à JMK; se a Seap está ciente sobre dívidas acumuladas pela JMK junto às oficinas mecânicas; se o Tribunal de Contas do Estado realiza investigações sobre o caso; e se há interesse da administração em manter o contrato com a empresa futuramente.

O deputado Delegado Recalcatti afirmou ter entrado em contato com pelo menos dez oficinas mecânicas que reclamaram de atrasos no pagamento por serviços prestados em veículos de órgãos públicos, sob contratação da JMK. Boa parte disse ter renegociado os valores e passou a receber os pagamentos em parcelas. Outras oficinas continuam sem receber e um terceiro grupo aguarda uma negociação com a empresa.

Segundo Recalcatti, o fato curioso é que, num levantamento realizado pelo sindicato das oficinas mecânicas no mês de maio, Cartórios de Protesto de todo o estado acumulavam 3.606 protestos contra a empresa JMK no valor total de R$ 5,6 milhões. “Estranhamente é que agora, em outubro, todos os protestos foram levantados e no CNPJ da JMK, há um ‘Nada Consta’ em termos de dívida”, relatou Delegado Recalcatti.

Por conta dessas pendências, diversos órgãos da Segurança Pública, como Polícia Civil, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, estão com carros parados nas garagens porque as oficinas têm se negado a prestar serviços para a JMK. “Tivemos a informação que municípios como Foz do Iguaçu, Jacarezinho, Pato Branco e Francisco Beltrão estão passando por sérias dificuldades no conserto de suas viaturas”, afirmou Recalcatti.

O discurso do deputado Delegado Recalcatti recebeu apartes dos deputados Schiavinatto, Márcio Pacheco e Tião Medeiros que também relataram problemas de pagamento da JMK com oficinas mecânicas no interior do Estado. 

Leave a Comment