Hiroshi tem dez dias para demitir Robertinho Coelho

Ex-prefeito e atual secretário de Administração foi condenado pelo Tribunal de Contas por improbidade

Da Redação


Ex-prefeito Roberto Coelho (DEM) foi por condenado improbidade administrativa
CRÉDITO: Antônio de Picolli

O prefeito de Carlópolis, Hiroshi Kubo (PSDB) tem até dia 31 de outubro para demitir seu secretário de Administração, Roberto Coelho (DEM), o Robertinho como é mais conhecido. Ele está proibido de exercer o cargo por condenação em definitivo no mês de setembro pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR), por improbidade administrativa.

Logo após a condenação em processo transitado em julgado (não cabe mais recurso) pelo TCE-PR, o Ministério Público Estadual (MPE), da comarca de Carlópolis, encaminhou ao prefeito Hiroshi Kubo recomendação administrativa para que proceda a exoneração de Robertinho Coelho, que foi prefeito da cidade entre os anos de 2009 a 2012. O prazo definitivo seria ontem (22), sob pena do atual gestor responder a processo por improbidade administrativa. A promotoria de justiça tomou por base uma lei conhecida como “ficha limpa” de Carlópolis que proíbe a nomeação para cargo de confiança de ex-gestor condenado por crime de improbidade.

No final da tarde de ontem (22) Hiroshi encaminhou ofício ao MPE da comarca solicitando mais 10 dias de prazo, que vence em 31 de outubro, alegando que a função administrativa desempenhada por Robertinho requer sua permanência por mais alguns dias, entre as quais, a folha dos servidores e alguns compromissos internos.

O MPE concedeu mais 10 dias, mas alertando que, findo o prazo e se não cumprida a recomendação, Hiroshi Kubo responderá por improbidade administrativa.

O caso envolvendo Roberto Coelho refere-se a um processo no Tribunal de Contas pelo repasse de recursos públicos municipais ao hospital local, antes da municipalização da instituição. Segundo o TCE-PR, o ex-prefeito foi omisso na fiscalização da aplicação do convênio, liberando dinheiro público sem exigir a prestação de contas da instituição.

Nepotismo

O prefeito Hiroshi Kubo assinou no ano passado como o Gepatria – Grupo Especializado na Proteção ao Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa, órgão do MPE-PR com sede em Santo Antônio da Platina, um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) pelo qual se comprometeu a acabar com o desvio de função na administração municipal. No entanto, várias denúncias passadas por servidores à reportagem da Tribuna do Vale apontam que a irregularidade persiste em vários departamentos. Há, inclusive, uma investigação sob comando da promotora de justiça e coordenadora do Gepatria, Kele Cristiani Diogo Bahena.

Outro caso relatado por uma fonte do MPE refere-se à atuação da promotoria de justiça da comarca de Carlópolis, que encaminhou expediente ao prefeito, forçando-o a demitir três assessores que se enquadravam na condição de nepotismo, mas há outras denúncias segundo um servidor antigo da prefeitura local.

Procurado no final da tarde de ontem (22) para se manifestar, o prefeito Hiroshi Kubo não retornou o recado deixado no seu celular.