Paraná Política

Urnas questionadas por partido de Bolsonaro passarão por verificação no Paran

Bem Paraná


A verificação está marcada para a próxima sexta-feira (19), na sede do Tribunal Regional Eleitoral
CRÉDITO: José Cruz/Agência Brasil

Uma auditoria das urnas eletrônicas de quatro seções eleitorais no Paraná será acompanhada por membros da Ordem dos Advogados do Brasil seção Paraná (OAB-PR). A verificação está marcada para a próxima sexta-feira (19), na sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PR), a partir das 8 horas.

A auditoria, pedida pela Comissão Provisória do Partido Social Liberal (PSL), do candidato à presidência Jair Bolsonaro, foi autorizada pelo corregedor regional eleitoral, desembargador Gilberto Ferreira. Em entrevista à rádio CBN Curitiba, o presidente da OAB-PR, José Augusto Araújo de Noronha, afirma que a ordem deve resguardar a legitimidade e a integralidade da votação. “Vamos estar lá acompanhando, indagando, e fazendo todas as ações necessárias para conferir e atestar a segurança do voto das pessoas através das urnas eletrônicas”, afirma.

A verificação deve ocorrer nas urnas das seções 311, que não teve a zona eleitoral indicada no pedido; 292, da 9ª Zona Eleitoral de Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba; 654 e 664, da 1ª Zona Eleitoral de Curitiba.

O pedido foi feito após relatos de que as urnas concluíram o processo de votação “imediatamente após a digitação dos dois números para candidato à Presidência da República, sem que o eleitor digitasse a tecla confirma”.

O presidente da OAB destacou que em meio as “fake news” é importante provar a lisura do processo eleitoral. “Sabemos que muitas notícias veiculadas são fake news e precisam ser esclarecidas pelo tribunal de uma forma mais eficiente. E problemas que foram atestados por pessoas idôneas que o tribunal consiga esclarecer à população para que não gere nenhuma dúvida com relação à lisura das eleições”, disse à CBN.

Representantes da Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) e presidentes das comissões de Auditoria da Votação Eletrônica e de Segurança Permanente também devem acompanhar a auditoria. O procedimento vai verificar se os sistemas instalados nas urnas são os mesmos que foram lacrados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), se as urnas estavam em perfeitas condições de uso e funcionamento e se há indícios de fraude no sistema.

Deixe um Comentário