Agronegócios

Conab reduz previsão da safra de grãos 2023/24

No Paraná, a quebra estimada pela Conab é de 2,2 milhões de toneladas

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) anunciou uma redução na previsão da safra brasileira de grãos 2023/24, estimando agora 299,7 milhões de toneladas, representando uma queda de 6,3% em relação ao ciclo anterior. Comparado à previsão de janeiro, a redução é de 2,2%. A soja, principal cultura de verão, teve sua produção revisada de 155 milhões para 149 milhões de toneladas devido ao calor intenso no Paraná e Mato Grosso.

No Paraná, a quebra estimada pela Conab é de 2,2 milhões de toneladas, enquanto no Mato Grosso, estima-se uma redução de 1,6 milhão de toneladas. A colheita da soja avançou, atingindo 25% da área total estimada de 5,8 milhões de hectares, com a região Oeste na vanguarda.

Para o milho, a expectativa caiu de 117,6 milhões para 113,7 milhões de toneladas, devido a uma redução na área plantada. No Paraná, a área plantada pode diminuir para pouco menos de 2,7 milhões de hectares, resultando em uma produção de 16,3 milhões de toneladas, 11,7% a menos que o ciclo anterior.

O boletim do Deral também analisa a variação no preço do feijão preto e do carioca. A primeira safra atingiu 90% dos 113 mil hectares, mas a oferta não deve reverter a alta de 11% observada em janeiro no preço de ambos os feijões. A expectativa é pela colheita da segunda safra, que deve cobrir 305 mil hectares no Paraná.

Em relação às frutas, as exportações brasileiras aumentaram 59,1% entre 2014 e 2023, com um acréscimo de 51% em volumes. O Brasil manteve um ambiente superavitário nas transações financeiras para a fruticultura. Quanto ao frango, o Paraná lidera as exportações, enquanto o leite teve uma pequena recuperação de preço e os suínos apresentaram queda de 5,5% nos preços médios no varejo em janeiro. LEGENDA: A soja, principal cultura de verão, teve sua produção revisada de 155 milhões para 149 milhões

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Uia!!!