Capa

S.A.PLATINA
Com contas de 2008 reprovadas, Câmara torna Pedro Claro inelegível por oito anos

Filho do ex-prefeito lembrou que seu pai assumiu a prefeitura no meio do exercício de 2008, assim que José Ritti foi cassado, e que está sendo responsabilizado pela má administração anterior

Gladys Santoro Biaggioni – Tá No Site

Acompanhando o parecer do Tribunal de Contas do Estado do Paraná, a Câmara de Vereadores de Santo Antônio da Platina/PR reprovou na noite de ontem, 7, por unanimidade, as contas relativas ao exercício de 2008 – primeiro ano da gestão do ex-prefeito Pedro Claro de Oliveira Neto (quando ele assumiu a função no lugar do então prefeito cassado, José Ritti Filho), tornando-o inelegível por oito anos.

O processo já vinha tramitando há anos. O TCE acusava o ex-prefeito de não ter aplicado a porcentagem mínima legal determinada pela lei na área da Saúde (15%) e outras irregularidades como “Não comprovação dos ajustes realizados em conciliações bancárias, não comprovação dos saldos bancários e existência de saldos de recursos consignados em folha de pagamento.

Pedro Claro se defendia dizendo que as inconsistências eram relativas ao mandato de José Ritti Filho, do qual era vice e que foi afastado da função pela Justiça no meio daquele ano. Em sua defesa, ainda, Pedro Claro afirmava que respondia pelo período em que assumiu a prefeitura, quando manteve todos os índices em conformidade aos preconizados pela lei, em todas as áreas administrativas, e também a legalidade no tocante aos demais compromissos fiscais. Mesmo assim, o TCE recomendou a reprovação das contas e a Câmara Municipal acatou, entendendo que o então prefeito deveria arcar pelo exercício de 2008 integralmente.

O presidente da Câmara de Vereadores de Santo Antônio da Platina, José Jaime Paula Silva (União Brasil), o Mineiro, disse que pela votação ter sido unânime, como presidente, não precisou votar, mas se fosse necessário, em caso de empate, votaria a favor do relatório do Tribunal de Contas, e parabenizou seus pares pelo resultado. “Se eu tivesse que votar, também seria favorável à reprovação, afinal, o Tribunal de Contas é uma entidade séria e confiável, e não aprovou as contas. Eu acompanharia o parecer do TCE. Os vereadores estão de parabéns”, finalizou.

Pedro Claro

A reportagem do Portal Tá No Site procurou o ex-prefeito Pedro Claro de Oliveira Neto para saber se ele gostaria de se manifestar sobre a decisão do Legislativo, porém, quem falou em seu nome, foi seu filho, Pedro Claro Filho. “Quando vocês nos procuraram a gente não estava sabendo da votação. Infelizmente, o Tribunal de Contas responsabilizou meu pai pela má administração da gestão anterior. Meu pai assumiu a prefeitura na metade daquele ano, após cassação do titular, José Ritti Filho, e as contas estavam todas desiquilibradas. Ele fez um esforço enorme para colocar tudo em ordem, mas a situação era bem complicada. Porém, dali para frente, ele trabalhou dentro da legalidade e conseguiu administrar de maneira competente e honesta”, disse. “Resumindo, o Tribunal entendeu que Pedro Claro deve se responsabilizar pelo ano inteiro e não apenas a partir da data em que assumiu. Se ele fosse cobrado pelo período em que ficou à frente da administração não teria problema algum”, complementou.

Pedro Claro Filho ainda agradeceu ao Portal Tá No Site pela oportunidade dada ao seu pai de comentar o assunto. “Agradeço ao Tá No Site por fazer uma matéria imparcial, escutando todos os lados e dando a oportunidade para meu pai se defender”, finalizou.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Uia!!!